Archive for November, 2006

Salve pessoal.

A atualização de hoje é a penúltima em nosso tutorial passo o que me deixa um tanto aliviado, mas também já com um pouco de saudades, porém deixarei minhas considerações sobre o tutorial como um todo para a última atualização do mesmo.

No pequeno tutorial de hoje vou falar sobre como pintar a textura de madeira em miniaturas, um pequeno detalhe que pode ajudar muito a compor o visual final da peça.

A maioria das pessoas quando tem de pintar partes da miniatura que seriam feitas de madeira tendem a simplesmente usar uma ou duas cores de marrom, o que é perfeito já que vista de certa distancia essa é a aparência efetiva de madeira.

Porém para adicionar detalhe a peça sempre é interessante pintar as estrias peculiares de qualquer madeira.

Quando a peça trás essas estrias já representadas na miniatura, é bastante simples obter um efeito legal, bastando pintar a área de madeira em um marrom mais escuro e caprichar em um drybrush de uma cor mais clara depois.

Quando a miniatura trás somente a madeira sem as estrias como no caso do nosso Night Goblin é preciso pintar as mesmas, porém isso não apresenta grande dificuldade.

Comece com uma cor básica escura, pelo menos mais escura do que as que você vai usar posteriormente para as estrias, aqui eu usei “Snakebite Leather” como açor básica. Pra pintar as estrias coloquei um pouco de tinta, somente o bastante para cobrir a ponta do pincel, e com movimentos rápidos pincelei linhas perpendiculares ao sentido da madeira, alternando as cores “Bubonic Brown” e “Vomit Brown” até obter o resultado final que pode ser conferido aqui.

 

 

Até breve.

 

 

Hello.

A fast update today on how I did the wood grain on our volunteer’s spear handle. Painting wood grain on wood isn’t that hard when the wood grain itself has been sculpted on the miniature. A simple drybrush will yield nice results provided it’s properly done. When it comes to wood pieces who don’t have the wood grain already sculpted on the miniature, you gotta rely on your skills to pull the trick. On our test model I started by basecoating the handle in “Snakebite Leather”. After I got a nice smooth coverage I started taking turns using “Bubonic Brown” and “Vomit Brown” and painting lines on the spear’s handle following its orientation. You can see the final results in today’s picture.

See you guys soon for the last update on this step by step tutorial series of articles.

Salve!

Seguindo a lógica de pintar a miniatura de “dentro para fora” o próximo passo em nosso tutorial passo a passo é pintar as roupas de nosso voluntário. Night Goblins vivem dentro de cavernas nas montanhas, ocupando as ruínas das outrora imponentes cidades dos anões sendo lógico, pelo menos para mim, retratá-los em vestes escuras condizentes com o ambiente em que vivem.

Tencionava originalmente pintar as roupas do goblin de preto, porém o preto é uma cor difícil de se trabalhar com highlights porque você pode acabar com uma miniatura que parece cinza se não maneirar nas cores. Assim para manter o tutorial simples optei por fazer as vestes em um cinza escuro.

Para a primeira camada (basecoat) usei uma mistura 2:1 de “Shadow Grey” e “Chaos Black” diluído com água na costumeira proporção de 1:1. Cerca de três camadas desta mistura foram bastantes para uma cobertura uniforme nas peças de roupa.

Para o primeiro highlight usei “Shadow Grey” puro porém bem diluído em água (1:5 – tinta : água) essa quantidade de água deve deixar a tinta semi-transparente. Aplique a tinta diluída em pequenas quantidades nos locais onde a luz do ambiente atingiria as roupas do goblin, notadamente nas partes mais altas. O segredo aqui é pincelar no sendido da parte mais escura para a mais clara, isso vai fazer com que a maior parte da tinta se deposite no final da pincelada justamente o local onde a maior quantidade de luz incidiria. Repita as pinceladas algumas vezes sem colocar mais tinta no pincel para que a tinta não fique empoçada (o que pode acontecer com ela mais diluída) e para que o pigmente se deposite no local certo. Quando a primeira camada de tinta secar repita o procedimento até obter o resultado que deseja para essa cor. Na miniatura que estamos usando eu repeti a aplicação do “Shadow Grey” mais duas vezes.

Para o segundo highlight eu usei “Shadow Grey” misturado com “Fortress Grey” na razão 2:1 diluindo essa mistura em água usando mais uma vez a proporção de 1:5 (tinta:água). Seguindo o procedimento descrito de pincelar da parte mais clara para a mais escura, apliquei essa nova mistura iniciando a aplicação da tinta mais ou menos na metade da área em que apliquei a camada anterior (“Shadow Grey” puro diluído em água 1:5) e seguindo com o pincel na direção do highlight. Isso nos proporcionará uma gradação mais sutil das cores. Repita o procedimento até estar satisfeito. Com esta camada de tinta eu reapliquei a tinta um pouco mais, cerca de três ou quatro vezes.

Como queria um tom mais escuro para as roupas do goblin parei por aqui, mas você pode repetir esse procedimento quantas vezes quiser usando cores cada vez mais claras nas camadas subseqüentes, observando sempre o sentido de aplicação da tinta (pincelando do mais escuro para o mais claro) e a diluição da mesma. Cabe lembrar que quanto mais diluída a tinta mais sutil será a gradação de cores nos highlights.

Essa é a miniatura com as vestimentas já finalizadas.

Até a próxima.

 

 

Hello there.

Continuing with our step by step tutorial, and painting our model “inside out”, it’s time we pay some attention to our goblin’s clothes. Night Goblins are often described as inhabitants of caves, residing on the once great cities of the dwarves. Thus it makes sense to paint our volunteer’s clothes in dark tones as that would be the fitting choice for a dark environment.

I entertained the idea of painting this little fellow’s clothes in pure black, but this color tends to be a pain when it comes to properly highlighting it so in the end I opted for a dark grey color.

To start the basecoat I painted all the clothing areas in a mixture of “Shadow Grey” and “Chaos Black” (mixed in a 2:1 ratio) diluted in water in our usual 1:1 proportion. Three layers of this paint were enough to give us the nice even coverage portrayed in picture 18.

For our first highlight I used pure “Shadow Grey” but I diluted it a lot more than usual using 5 parts water for one part paint. This ratio was enough to give me a nice semi-transparent paint. To properly emulate the incidence of light on our model this paint was applied in small quantities to the places light would normally hit the model, and in so, affecting our perception of the color his clothes were dyed in. To apply the paint and get an effective highlight the first thing to observe is applying the paint from the darkest part towards the place were the highlight will be. This way the lighter pigment we’re using will accumulate at the end of our brushstroke, namely where we want our highlight to be. Another important thing is to apply some more brushstrokes to our model without reloading the brush with paint, that way you can make sure the paint will not pool in some areas (which is the normal thing here since the paint is a lot more diluted then usual). After this first highlight layer is dry you can apply some more layers of paint till you’re satisfied. In our example I applied a couple more before moving on.

For the second highlight I used “Shadow Grey” mixed with “Fortress Grey” at a 2:1 ratio, again diluted in water at a 5:1 ratio (water: paint). This new layer will be applied following the guidelines from our previous one (from the darkest parts to the lightest) but I started the brushstroke at the middle of the area I applied the previous layer, that way a little of the previous color still shows through. I used three or four layers of this color to achieve the final result shown in pictures 19 and 20.

You can repeat this process as many times as you want using lighter shades of your base color in each subsequent layer, just remember to keep your paints thin and to apply the paint from the darkest hue towards the place where light will hit the model.

That’s it for now. See you soon.

Salve pessoal.

Rápida atualização hoje para que eu possa voltar aos pincéis e terminar de uma vez a miniatura do nosso tutorial passo a passo. To meio, como dizem os baianos, “afobado” (abraço ai Zé!) pra terminar e mergulhar de cabeça em outros projetos que estão me aguardando.

Há alguns dias postei por aqui minha resenha sobre o “Miniature and model painting techniques DVD guide for fantasy miniatures and military models” ou simplesmente “The System Multipack” como está impresso na capa do DVD.

Relatei na oportunidade a dificuldade em obter o material já que o DVD não é mais produzido e as poucas unidades disponíveis em sites de leilão costumam ter preços um tanto proibitivos para nossa realidade.

Recebi diversas mensagens inquirindo sobre como proceder para adquirir o material, e então para satisfazer meus leitores empreendi uma caçada para encontrar algumas cópias do DVD.

A caçada rendeu frutos embora não da maneira esperada. No presente momento o DVD não está mais sendo produzido, porém o pessoal que o criou esta disponibilizando o material para compra através de downloads, então se você se interessou não perca a oportunidade de adquirir esse excelente material. O link para comprar os vídeos e baixar alguns vídeos de demonstração é o seguinte: STEEL DOG PRODUCTIONS.

Não deixe de visitar e até a próxima.

 

 

Hey there!

A while ago I uploaded here my review on the “Miniature and model painting techniques DVD guide for fantasy miniatures and military models” by Martin Beyst and Kenaz Raynor (go check it right now if you haven’t done it yet).

One of the things I mentioned in it, other then it’s a great source of hints and tips on how to achieve awesome results in painting, was that this DVD was a pain to get hold of as its no longer produced.

After publishing my review I got quite a lot of messages inquiring on how to purchase a copy of the DVD which led me into a plunge into the depths of the web from which I now bring great news.

Yes, the DVD is no longer produced but the guys who created it are selling the very same material over the web as downloadable videos. To acquire your own or just to download a few demos check the following link: STEEL DOG PRODUCTIONS.

Don’t miss the opportunity. See you guys soon.

Salve!

Finalmente mais uma atualização em nosso tutorial de pintura passo a passo que agora se aproxima de sua conclusão posto que iniciamos a pintura da miniatura propriamente dita.

Por onde começar a pintura após o primer? Bom a resposta a essa pergunta é uma questão de gosto pessoal sendo que ao longo do tempo cada um desenvolve um estilo particular e assim por onde começar a pintura. Ao longo do tempo me acostumei a pintar a miniatura “de dentro pra fora”, como se fosse a vestindo com tinta, começando a partir das camadas mais profundas, normalmente a pele e terminando com a armadura sobre as roupas.

O importante a se lembrar é que não existe regra fixa, assim comece por onde você se sente mais a vontade.

Começando a pintar nosso voluntário a partir da pele é importante decidir um pouco antes quais serão as cores usadas. Os orcs e goblins do universo de warhammer fantasy são freqüentemente retratados com a pele verde (por isso são chamados “greenskins” ou “peles verde” em português como bem retrata o amigo Ofrante em seu blog dedicado a estas raças apropriadamente intitulado “PELE VERDE, PRESAS e ANIMOSIDADE”) sendo que os goblins tem a pele um pouco mais clara que seus primos mais avantajados.

Assim, buscando uma tonalidade de verde mais clara a primeira camada de verde foi uma de “Snot Green” da GW.

A partir dai as aplicações de cores subseqüentes irão se sobrepor a esta cor original, por isso a importância de que essa primeira cor seja aplicada de maneira consistente sem deixar o primer preto transparecer.

Sempre dilua suas tintas normalmente em uma proporção de 1:1 (água:tinta). Usando essa proporção de diluição da tinta serão necessárias umas três camadas do nosso “Snot Green”.

Para a segunda camada eu usei uma mistura de 1:1 das tintas “Snot Green” e “Goblin Green” apropriadamente diluída em água (ainda na razão 1:1) aplicada sobre todas as áreas de pele visíveis no modelo deixando o Snot green original aparecendo somente nas reentrâncias mais profundas da pele (como nos vãos entre os dedos).

Após esperar as novas camadas de tinta secar, sempre espere que a camada anterior seque, apliquei mas uma camada da mistura de verde “Snot” e “Goblin” porém agora na razão 1:2 (snot:goblin) aplicando esta camada sobre as áreas anteriormente pintadas com a primeira mistura de cores, porém deixando um pouco da camada anterior a mostra (usando a técnica do “Feathering” descrita aqui).

Por fim misturei um pouco de “Sunburst Yellow” ao nosso “Goblin Green”, novamente na proporção 1:1, para o ultimo highlight nas áreas de pele do goblin aplicando essa cor nas áreas que estariam, em tese, mais expostas a luz como as maças do rosto, nariz dedos etc.

Terminadas as áreas de pele finalizei o rosto do nosso amigo pintando os olhos e dentes de nosso amiguinho, para os olhos uma camada base de “Red Gore” seguida por uma camada de “Blood Red” e por fim um pequeno pontinho de ‘Sunburst Yellow”.

Para os dentes uma camada de “Bestial Brown” seguida por uma de “Vomit Brown” e depois uma camada de “Vomit Brown” e “Bleached Bone” (misturadas na razão 1:1) por fim um pouco de “Bleached Bone” misturado com “Skull White” para arrematar.

Tanto os olhos quanto os dentes foram pintados com a aplicação da técnica do “Feathering”.

Esse é o resultado final.

Mais em breve. Até lá.

 

 

Hello!

It’s been a while since the last update on our step by step tutorial so without further ado I bring you the next step in our ongoing series of articles.

A lot of people wonder about where to start painting. I learnt a good while ago that a good way to tackle a model is to start from the inner layers and work your way out. That way you normally start painting the exposed skin layers moving from there to clothes and then to the armor areas.

That’s mainly a question of taste and over the years I grew accustomed to painting the way I described.

Goblins are described as having green skin in the world of warhammer fantasy (that’s why orcs and goblins are referred to as “greenskins” in general) so I gave the paints I was going to use some previous tought.

I started by covering all exposed areas of skin with GW’s “Snot Green” paint (diluted with water in a 1:1 ratio), applying 3 layers of paint to get an even coverage as shown in picture 15.

The first highlight was feathered in using a mixture of the afore mentioned “Snot Green” and “Goblin Green” mixed at the usual 1:1 ratio. This mixture was applied ovel all skin areas leaving the “Snot Green” showing only at the deepest recesses of the model (like in between the fingers).

The second highlight was another layer of the “Snot” and “Goblin” green mixture (this time at a 1:2 ratio) over the previous layer but leaving some of that showing as shown in picture 16.

I added some “Sunburst Yellow” to “Goblin Green” for the final highlight (1:1 ratio) applied over the places where light would hit the model like the cheekbones, nose, fingers and any other such areas.

Having finished the skin areas it was time to wrap the model’s face by painting the eyes and teeth of the model.

Eyes were done with a basecoat of “Red Gore” followed by a layer of “Blood Red” and finally a small hint of “Sunburst Yellow”.

The teeth were done with a basecoat of “Bestial Brown” followed by a layer of “Vomit Brown” after it another layer of “Vomit Brown” mixed with “Bleached Bone” (at the usual 1:1 ratio) and to wrap it up some “Bleached Bone” mixed with “Skull White”.

Eyes and teeth were done using the feathering technique. Picture 17 shows the final result.

See you soon!

Templar Artist!

Posted: 25/11/2006 in Warhammer 40K

Salve!

Bom eu costumo navegar muito web afora em busca de bons sites de miniaturas, sempre procurando por sites que não só mostrem belas miniaturas mas também que adicionem algo ao meu conhecimento do hobby.

Foi uma grata surpresa encontrar há algum tempo o blog “Templar Artist” do Ron Saikowski. O cara não só é extremamente bom com o pincel e nas conversões, mas também manda ABSURDAMENTE bem na confecção de banners para os modelos de seu army.. A figura que ilistra o post de hoje é de um dos modelos do cara. Vale a pena conferir

Até breve.

 

Hey there.

I browse the web a lot, looking for good websites about modeling in general, after all seeing nicely painted models often serves as inspiration, but I’m always on the prowl after sites who will add to my hobby knowledge.

It was a pleasant surprise to come across Ron Saikowski’s blog, “Templar Artist”, which not only showcases his stunning paint jobs and amazingly converted models but also his incredibly beautiful banners. I could literally browse through those for hours without tiring of them. His blog is definitely a must see as the picture illustrating today’s update shows.

See you guys soon.

Salve!

Bom como já dá pra perceber o desafio de pintar 1000 pontos em um ano anda a pleno vapor com cada vez mais adesões. O “Madcow” lá do Warhammer Brasil também confirmou o interesse e juntou-se ao grupo totalizando assim (até o presente momento) 10 participantes.

Pra não ficar muito para trás em relação aos demais participantes decidi criar minha lista até para começar a elaborar um cronograma realista em relação a tudo o que vou ter de pintar. No fim das contas o exército ficou com bem menos miniaturas do que eu esperava e acabei tendo de deixar diversas miniaturas que gostaria de adicionar no army como os meus Tyranid Hunters e dois tanques, um vindicator e um predator, mas mesmo com eles de fora da lista vou tentar pintar tudo o que compõe o army assim como esses modelos… quem sabe eu não consigo 1500 pontos em um ano?

Bom a principio minha lista de 1000 pontos é a seguinte:

 

HQ – Space Marine Captain – 60 pontos.

+ 15 pontos – Power weapon.

+ 15 pontos – Plasma pistol. => total: 90 pontos.

 

Troop 1 – 6 Space Marines – 90 pontos.

+ 10 pontos – Plasma gun.

+ 10 pontos – Rocket Launcher.

+ 15 pontos – Terminator honors (Sgt.).

+ 15 pontos – Power fist (Sgt.).

+ 70 pontos – Razorback transport

+ 20 pontos – Lascannon (razorback).

+ 5 pontos – Extra armor (razorback). => total 235 pontos.

 

Troop 2 – 6 Space Marines – 90 pontos.

+ 10 pontos – Plasma gun.

+ 10 pontos – Rocket Launcher.

+ 15 pontos – Terminator honors (Sgt.).

+ 15 pontos – Power fist (Sgt.).

+ 70 pontos – Razorback transport

+ 20 pontos – Lascannon (razorback).

+ 5 pontos – Extra armor (razorback). => total 235 pontos.

 

Elite 1 – Space Marine Dreadnought – 105 pontos.

+ 10 pontos – Heavy Flamer.

+ 20 pontos – Venerable dreadnought.

+ 5 pontos – Extra armor.

+ 30 pontos – Drop pod transport. => total 170 pontos.

 

Elite 2 – 5 Space Marine Terminators – 200 pontos

+ 40 pontos – Assault cannon X2.

+ 30 pontos – Drop pod transport. => total 270 pontos.

 

TOTAL: 1000 pontos.

 

Bom basicamente o army é esse, pode ser que a lista original venha a ser alterada futuramente em virtude do tempo disponível e de como vou lidar com o cronograma de pintura. O exército totalizou 5 unidades compostas por 18 miniaturas de “infantaria” (soldados a pé) e 4 veículos incluindo-se ai os drop pods. Estou pensando em trabalhar com as unidades, pintando uma unidade por mês e alocando o primeiro mês para as conversões que vou precisar bem como a montagem das miniaturas. Algumas peças importantes pro meu army ainda não chegaram, como alguns bits para conversão assim como os chassis de rhino que foram para a “revisão” na garagem do Dan (do blog “Espaço do Dan”).

Assim ainda que role um atraso na pintura das miniaturas, posso dar conta do recado no prazo proposto, ou, na melhor das hipóteses, correndo tudo nos conformes, eu poderei pintar os modelos extras que levarão o army além dos 1000 pontos do desafio. Veremos!

Em tempo, diversos dos outros participantes estão postando suas listas em seus respectivos blogs então não deixe de conferir os links da lista “Desafio de Pintura”.

Até breve.

 

 

Hey there.

As I said yesterday a lot more people are joining the group of people who are going to face the challenge of painting 1000 points of miniatures in the space of an year.

Not wanting to fall behind I’m uploading today the army list showing the models I intend to paint over the course of the next year.

 

HQ – Space Marine Captain – 60 points.

+ 15 points – Power weapon.

+ 15 points – Plasma pistol. => total: 90 points.

 

Troop 1 – 6 Space Marines – 90 points.

+ 10 points – Plasma gun.

+ 10 points – Rocket Launcher.

+ 15 points – Terminator honors (Sgt.).

+ 15 points – Power fist (Sgt.).

+ 70 points – Razorback transport

+ 20 points – Lascannon (razorback).

+ 5 points – Extra armor (razorback). => total 235 points.

 

Troop 2 – 6 Space Marines – 90 points.

+ 10 points – Plasma gun.

+ 10 points – Rocket Launcher.

+ 15 points – Terminator honors (Sgt.).

+ 15 points – Power fist (Sgt.).

+ 70 points – Razorback transport

+ 20 points – Lascannon (razorback).

+ 5 points – Extra armor (razorback). => total 235 points.

 

 

Elite 1 – Space Marine Dreadnought – 105 points.

+ 10 points – Heavy Flamer.

+ 20 points – Venerable dreadnought.

+ 5 points – Extra armor.

+ 30 points – Drop pod transport. => total 170 points.

 

Elite 2 – 5 Space Marine Terminators – 200 points

+ 40 points – Assault cannon X2.

+ 30 points – Drop pod transport. => total 270 points.

 

TOTAL: 1000 points.

 

I intend to paint a unit a month, that will give me the time to wait for some of the models I’m missing right now and also should provide me the extra time to paint some more models I didn’t manage to squeeze into the army list I’ve put together. I want to add to the 1000 point list with a unit of tyranid hunters and some tanks. Time will tell.

I’d like to point out that some of the people who took up the challenge are also putting their lists up on their websites and blogs so don’t miss all those links on the “Desafio de Pintura” (Painting Challenge) column and check who’s up to what.

See you soon.

Salve!

 

Putz! To muito feliz hoje em virtude do sucesso da idéia do desafio de pintura. Uma idéia que surge num papo informal entre dois amigos de repente ganha proporções maiores e acaba ajudando a movimentar o hobby em terras brazucas… putz to muito feliz!

Bom vou aproveitar a atualização de hoje para compilar aqui os blogs dos participantes até o momento e a medida que mais pessoas mostrarem interesse em unir-se a nossa trupe vou atualizando a lista na newsletter mensal acerca do progresso do desafio (sim, vamos ter uma newsletter mensal!).

Até o momento nossos participantes são os seguintes:

 

Danilo “Dan” Peixoto do “Espaço do Dan”.

Frederico “Dark Wizzard” do “Dark side of the mind”.

João “JM” Marcelo do “Sobre anjos sombrios e guerreiros fantasmas”.

Mortis do “The dark tower”.

Silvio do “Diário de um roleplayer”.

“Ultra”Marcos do “Chumbo; Plástico; Tinta e Pincel”.

 

E claro, eu aqui no “The painting frog”. Além destes participantes já citados temos ainda o Paulo Cavalcanti de Brasília e o Luciano “Paintmaker” no Rio de Janeiro. Ambos devem utilizar o fórum Warhammer Brasil para postar seu progresso e assim que tiver uma URL pros tópicos dos caras posto por aqui.

Desejo desde já sucesso a todos os amigos que decidiram embarcar na idéia esperando que ao final do prazo alocado todos tenhamos belos 1000 pontos pintados e quem sabe nos encontremos para disputar algumas partidas com esses armies. Quem sabe?

Também estou adicionando uma coluna com links para os blogs/páginas dos participantes.

Grande abraço a todos.

* UPDATE: Não falei? Nem bem atualizei o blog e já temos mais um participante. O Eduardo de Natal entrou na onda e vai encarar mil pontos de tyranids. o blog do cara é o "Da hive mind" que já foi adicionado à lista aqui no blog. Não deixe de conferir.

 

 

Hey there!

I’m really happy today with how the challenge idea has turned out. From an informal conversation into something with the potential to stir up the hobby down here in Brazil. We have 9 people committed to the idea so far and I’d wager we’ll have some more hoping aboard in a while.

My hopes have never been higher. So far these are the entrants:

 

Danilo “Dan” Peixoto do “Espaço do Dan”.

Frederico “Dark Wizzard” do “Dark side of the mind”.

João “JM” Marcelo do “Sobre anjos sombrios e guerreiros fantasmas”.

Mortis do “The dark tower”.

Silvio do “Diário de um roleplayer”.

“Ultra”Marcos do “Chumbo; Plástico; Tinta e Pincel”.

 

And also yours truly! We also have Paulo Cavalcanti from Brasília and Luciano “Paintmaker” from Rio but those two are going to post their progress reports on the challenge on the Warhammer Brasil forum and as soon as I have a web address for their topics I’ll post them here.

I intend to have a newsletter monthly posted here on the blog and circulating around the web with everyone’s progress on the challenge so keep your eyes peeled. I~m also adding a column with the links to the entrants blogs and webpages so make sure you check them all.

See you soon.

*Update: One more good friend joined us after I first posted this. Eduardo from the "Da hive mind" joined the challenge. Do pay him a visit.

Salve!

Putz! Não é que o “Ultra”Marcos saiu na frente no desafio de pintar 1000 pontos de Ultramarines em um ano? O cara tem postado já há alguns dias seu Librarian Ultramarine colocando em seu blog (o “Chumbo; Plástico; Tinta & Pincel”) diversas fotos WIP mostrando o progresso do mesmo (compilei três das mais recentes pra ilustrar a atualização de hoje). Achei que está ficando bem legal e mal posso esperar pra ver o resultado final.

Até a próxima.

 

 

Hey there!

A short update today just to mention “Ultra”Marcos from the “Lead; Plastic; Paint & Paintbrush” blog has taken the lead on our 1000 points painted in a year challenge as his Ultramarine Librarian is nearing completion. Lots of WIP pictures to be seen on his blog so don’t miss it.

Catch you next time.

Salve!

Bom como vocês puderam ver na última atualização deste tutorial passo a passo com o término do processo de montagem da miniatura é chegada a hora de partirmos para a pintura propriamente dita.

Porém depois toda a preparação até aqui ainda temos um último passo antes de levarmos o pincel até a miniatura, o Primer.

Já falei sobre primer antes aqui no blog, mais precisamente na atualização intitulada “Dicas de Pintura” de maio de 2005 (você pode conferir o artigo na integra aqui).

Naquela oportunidade minhas considerações acerca do primer foram as seguintes:

 

“PRIMER: “Dar um primer” na miniatura nada mais é do que aplicar uma camada de tinta na miniatura antes de começar o processo de pintura. O termo utilizado vem do Inglês e que dizer em uma tradução livre “preparar” a miniatura para receber a tinta. O fundamento do primer é que algumas tintas não aderem tão bem ao metal ou ao plástico e essa camada inicial de tinta ajuda as camadas posteriores a aderirem na peça. Em tempo, o primer também influencia o resultado final da pintura, mas falarei disso daqui a pouco.

O que usar para o primer é outra pergunta recorrente, a maioria do pessoal do fórum usa tinta em spray encontrada em qualquer boa casa de produtos de pintura e (ou) materiais para construção, eu também já encontrei sprays de primer nacional (chamado primer mesmo e normalmente nas cores cinza e verde acinzentado) que também pode ser utilizado, eu particularmente tenho utilizado a muito tempo o da marca COLORGIN chamado DECORspray (COLORGIN) que tem dado excelentes resultados.

Por fim há o tópico sobre qual cor usar, a grande maioria usa o primer preto ou branco (FOSCO… sempre use tinta FOSCA para o primer!) e essa escolha influencia diretamente o resultado final da pintura. Se você esta pintando uma peça predominantemente metálica (como os necrons) ou deseja uma miniatura mais escura use o primer preto, agora se você está pintando uma peça com cores mais claras e vibrantes (vermelho e amarelo são bons exemplos) ou deseja um resultado final mais claro use o primer branco. Cumpre ressaltar aqui que você não está obrigado a usar tão somente preto e branco como primer, digamos que você está pintando um army de Dark Angels, nada impede que você use um primer já na cor verde escuro e depois pinte os detalhes com outras cores.

Importante observar que ao dar a camada de primer na miniatura você estará usando uma lata de tinta spray para pintar uma miniatura de alguns centímetros de altura, logo se você não observar a distancia mínima para aplicar o spray o resultado final será uma miniatura sem qualquer detalhe totalmente estragada pelo excesso de tinta. A maioria das latas de spray diz que você deve aplicar a tinta a uma distancia de 25cm porém aplique a cerca de trinta ou quarenta cm para se assegurar. Muita gente sempre resolve aplicar mais de perto para economizar no primer (aplicando a cerca de 30 cm você precisará de diversas aplicações de tinta para obter um resultado uniforme!), porém a grande maioria se arrepende depois (experimente!).

Por fim a lembrança de que para o primer você sempre deve usar o spray FOSCO. A tinta não adere ao spray brilhante. Também não aconselho o uso de tintas automotivas (embora alguns usem) uma vez que é praticamente IMPOSSIVEL retirá-la depois se você resolve repintar a miniatura. Além disso esse tipo de tinta tende a apresentar os mesmos problemas das tintas brilhantes (não aderência de outras tintas além do obscurecimento de alguns detalhes)”.

 

Pois bem, minhas considerações acerca do primer continuam sendo basicamente as mesmas de forma que vou tão somente ratificar as informações anteriores. Gostaria porém de fazer um adendo acerca do tempo a se aguardar antes de pintar a miniatura após o primer. A maioria das tintas empregadas para esse fim aponta que a tinta estará seca ao toque após 15 minutos da aplicação, porém esse “seco ao toque” não quer dizer que a peça está pronta para receber a tinta. O tempo ideal para se começar a trabalhar com a miniatura é de pelo menos 24 horas para que a tinta esteja totalmente seca. Se você começar a manusear a peça em menos tempo a transpiração natural de nossas mãos pode soltar um pouco da tinta e ai ao manusear a peça acabamos por sujá-la. Não convém ter pressa aqui!

A foto ilustra nossa miniatura após o primer e já pronta para receber a primeira camada de tinta.

Até a próxima.

 

 

Hello there.

With the model fully assembled and its base done, it’s time to move onwards to painting it. But before we put the brush to our model we must prepare it for the oncoming paint layers and the way to properly do it is by priming it. There’s a lot of theories floating around about priming mainly if it’s worth doing it or not. I personally find it very important for achieving a nicely painted model.

Priming a model before hand not only helps the following layers of paint adhere to the model but also helps with the final colors, influencing how bright they’ll be.

There’s a lot of primers out there in the market to choose from, and they can normally be found in three colors: Black; White and Gray. The choice of color will influence the final paintjob as a miniature primed in black will be slightly darker and those primed in white will be a lot brighter. There’s also some consensus that metallic paints will yield much better results when painted over a black primer and that bright colors like red and yellow will look much better over white. I tend to prime all my models in black.

One of the important things to remember when priming models is to respect a minimum distance for applying the paint. Most cans indicate that the appropriate distance for priming the models is that of 25 centimeters (sorry, I know some countries out there don’t use the metric system but that’s the one we use down here) but I like to play on the safe side and normally apply the primer from 30 to 40 centimeters away. It uses a lot more paint but this distance helps avoiding clogging the model with too much paint thus obscuring detail and often ruining a model.

Another thing to respect is the drying time. Even tough the model will be dry to the touch a mere 15 minutes after priming it, I find it safer to let it dry for at least 12 hours as the handling of a model which didn’t have enough time to properly dry will smear your fingers and thus end up smearing the model as well.

Today’s picture shows our model fully primed and awaiting the first layers of paint.

See ya soon!

Salve!

Pois bem, definida a base nos resta a montagem final da miniatura para passarmos a etapa seguinte que é o processo de pintura propriamente dito.

Antes porém de passar à próxima etapa, e a guisa de fazer com que este tutorial seja o mais completo possível gostaria de tocar em um tópico pertinente à etapa de montagem da miniatura, o pinning.

Pinning, ou “pinagem” em uma tradução literal do termo em inglês, é o processo de inserir um pino para fixação entre duas peças a serem coladas de forma que o pino empreste maior firmeza à peça.

A técnica é especialmente útil para fixar peças como asas, que normalmente são grandes e pesadas em relação ao corpo, permitindo assim que se tenha um apoio enquanto a cola age e depois emprestando firmeza àquela junta.

Outro uso do pinning é para fixar miniaturas em bases, justamente o caso em que vamos utilizar a técnica aqui.

No caso do nosso voluntário é necessário retirar a barrinha de plástico da parte de baixo da miniatura destinada a inserção no slot da base que a acompanha.

Pra realizar o pinning é necessário uma pin vise e uum pedacinho de metal para ser empregado como pino, eu costumo usar um pedaço de clip de papel.

O primeiro passo é fazer o furo para inserção do pino na miniatura, como nosso voluntário é uma peça plástica isso não apresenta qualquer dificuldade, porém, em se tratando de uma peça de metal, é por vezes conveniente fazer uma pequena cavidade prévia no metal, com uso de um estilete, sobre o qual de deve furar.

É importante também realizar um furo um pouco maior do que o pino que irá se utilizar, justamente para que a cola possa fluir para o interior do orifício fixando ali o pino.

Após a inserção do pino basta cortá-lo no tamanho da cavidade na outra parte que se esta colando, no caso de uma base, corta-se o pino da altura da base.

Quando se faz bases de cortiça, é importante selá-la com cola antes do primer. Esse passo evita que a cortiça se esfarele durante a pintura, tornando-a mais rígida.

Eu costumo selar a base com super bonder antes da fixação da miniatura, porém cola branca produz os mesmos resultados só levando um pouco mais de tempo para secar. A foto final mostra a cobertura de cola desejada na base de forma a selá-la.

Mais em breve.

 

 

Hello.

Having decided on how the miniature’s base is going to look like and the story I’m trying to tell with it all we have left is to assemble the model on its base before painting can start.

But before we move onwards, and still with the base assembly thing in mind, I’d like to talk about a important thing when it comes to putting miniatures together, Pinning.

As the name implies pinning consists in inserting a pin on the model strengthening the joint between two given pieces, normally arms and wings, which can sometimes be a pain to hold together just with glue. The pin provides a temporary bond while the glue sets and helps improving the bond afterwards thus making the whole model more stable and less prone to losing some bits over years of gaming.

Another common use of this technique is to affix miniatures to custom built bases, exactly what we’ll be doing here.

Picture number 8 shows us the basic materials we’ll need in order to perform the pinning, namely your model (or the parts of a model to be pinned) a pin vise and something to use as the pin (I normally use paper clips).

The first step is to drill a hole into the miniature where you want you pin to be (picture 9) it’s important to drill a hole slightly larger then the pin you’re using as that’ll allow the superglue to flow into the hole you’ve drilled (picture 10). After the superglue sets just cut the pin into the desired length as shown in picture 11.

When working with cork bases I find it important to seal the cork using either pvc glue or super glue as that prevents the cork to crumble afterwards during the painting process or gaming. In this particular model I used superglue (pic 12) as I wanted to assemble the miniature asap so I could prime it after everything was set. Picture 13 show the glue coverage on the base.

More to follow soon.