Desafio de Pintura – Army Ultramarine!

Posted: 12/05/2007 in Pintura

Salve!

 

Bom como tinha prometido é hora de pormenorizar como foi a maratona de pintura à qual me dediquei ao longo do mês de abril.

Como a maioria dos leitores que tem acompanhado este blog ao longo dos últimos meses já sabe que o army dos Ultramarines destinava-se a um concurso de pintura informal proposto em conjunto aqui e no “Chumbo; Plástico; Tinta & Pincel”, assim como no fórum WHB, objetivando completar a pintura de um army de 1000 pontos ao longo do lapso de tempo de um ano.

A idéia motriz por trás desse desafio era não só motivar a mim e ao Ultramarcos a voltar a pintar com mais “compromisso”, mas também encorajar outros a fazê-lo demonstrando que pintar um exército não é nenhum bicho de sete cabeças, sendo factível desde que se estipule um prazo e se trabalhe para cumpri-lo.

Pois bem, em meados de março / abril do corrente ano de um papo com os amigos Tocha e Silvio (do “Diário de um Roleplayer”) surgiu a vontade de organizar um mini torneio sem São Paulo, daí nascendo o incrível evento que foi o FORK OF MORK (mais sobre ele em um relato detalhado aqui mesmo no “The painting frog” em breve), e com o evento tomando forma fui tomado pela dúvida: Qual army levar pro evento?

Como alguns já devem ter percebido sou um colecionador compulsivo das miniaturas e armies da GW (e de outras companhias também), assim escolha é o que não me faltava, porém grande parte desses armies está sem pintura, e jogar com armies sem pintura certamente não me apraz.

Eu insisto em dizer que pintar e converter seus próprios armies são 50% do hobby de wargames, se essa faceta do hobby não te atrai existem outros wargames com miniaturas pré-pintadas igualmente divertidos que permitem maior dedicação ao aspecto tático do hobby.

Assim grande parte dos meus armies ficou de fora da escolha. Na verdade eu tinha só uma escolha: Levar novamente os Salamanders para o torneio, porém esta idéia não me agradou.

Não que haja alguma coisa errada com eles. Os Salamander Space Marines são, de longe, meu melhor trabalho até hoje, porém acredito que, em virtude do sucesso deles no Torneio de Inverno 2005 (onde ganharam os prêmios de Melhor army; melhor army na escolha dos jogadores; melhor miniatura individual) os mesmos não teriam o mesmo impacto, assim uma idéia começou a tomar forma no meu subconsciente: “E se eu levasse os Ultramarines?”.

Até então poucas miniaturas haviam sido pintadas, duas pra falar a verdade, e o prospecto de pintar todo um army de 1500 pontos (dos quais 1000 pontos originalmente seriam pintados em um ano) era certamente intimidador. Mesmo assim decidi tentar, pois, na pior das hipóteses, levaria os Salamanders e adiantaria bastante a pintura dos 1000 pontos do Desafio de Pintura.

O primeiro passo foi “encorpar” a lista adicionando modelos que levariam o total de pontos para 1500, previsto pelo torneio. Aqui a primeira decisão séria: Fazer um army “padrão” investindo os pontos extras em mais tropas (e assim aumentando consideravelmente o número de miniaturas a serem pintadas e consequentemente diminuindo minhas chances de sucesso) ou usar os pontos extras para comprar algumas unidades de elite (com menos miniaturas) que me permitiriam caprichar mais na pintura e criar um tema interessante pro army? Essa quase nem se classificou como decisão, sendo fácil escolher a segunda opção.

Assim foi adicionado um tanque (um Vindicator) à lista original e o squad de terminators que integrava àquela lista como uma opção de elite foi acrescido de três modelos: Um capelão em terminator armor; um librarian em terminator armor e por fim o próprio comandante dos Ultramarines Marneus Calgar, tornando-se assim o command squad deste último personagem.

O tema desse army era o seguinte: Um pequeno destacamento da terceira companhia, liderado pelo capitão Valius havia sido enviado para rechaçar uma WAAAGH em formação (o achado de um artefato mítico dos Orks intitulado FORK OF MORK estaria agitando os Orks e catalisando a formação da WAAAGH). Tendo sofrido pesadas baixas e estando reduzido a um pequeno contingente o capitão requisitou auxilio ao capitulo sendo atendido e recebendo os reforços de ninguém menos que Marneus Calgar.

Tendo um tema e escolhido as miniaturas necessárias entrei de cabeça no processo de construção do army.

Como já havia dito aqui anteriormente, a idéia por trás do desafio era nos motivar a pintar, porém tanto eu quanto o Marcos nos estipulamos um “objetivo secundário” que era o de levar nossas habilidades um pouco além de onde estavam, assim, como você que acompanha o blog já sabe, decidi fazer meus Ultramarines na escala real, ou seja, “True Scale”, assim antes de pintar qualquer coisa tive de converter cada um dos Space Marines em power armor do modo como havia descrito anteriormente (confira o link “true scale” acima). Importante frisar que todas as miniaturas desse army foram convertidas para terem a estatura apropriada a um Space Marine, sendo algumas mais óbvias (como nos marines) e outras nem tanto (no caso dos terminators), além disso existem conversões menores em todas as peças (como os bolters usados pelos marines que não são bolters comuns). Aproveitando que estou falando das conversões gostaria de agradecer ao “mestre engenheiro” Dan Peixoto (do “Espaço do Dan”) pela ajuda na confecção dos tanques, assim como na “reforma” dos que já estavam prontos. Sim os dois razorbacks e o vindicator usados no army são “scratchbuilt”, confeccionados em papel pelo Danilo. Grande abraço e mais uma vez muito obrigado Dan!

Finalizado o processo de conversão foi hora de atacar a pintura propriamente dita, onde experimentei uma ferramenta que revolucionou minha forma de pintar e emprestou grande celeridade ao processo como um todo: O aerógrafo.

As miniaturas foram inicialmente cobertas com o primer preto, fiz isso com o maior número de miniaturas possível para economizar tempo, deixando-as que secassem por um dia (24 horas) propiciando assim maior fixação do primer na peça (embora ele esteja seco ao toque relativamente rápido, em quinze minutos, é recomendável aguardar 24 horas para completa fixação).

No dia seguinte, fazendo uso do aerógrafo apliquei em todas as miniaturas a cobertura básica (basecoat) de Ultramarines Blue sobre a qual irira trabalhar. Após essa tinta secar (o que ocorre literalmente em segundos por causa do aerógrafo e a atomização da tinta que ele faz) apliquei uma aguada (wash) de azul mais escuro para delinear as áreas de sombra e dar maior contraste  às miniaturas.

Depois de seca a aguada hora dos highlights: Cada parte da armadura da miniatura recebeu três camadas de highlight, partindo de uma nova aplicação de Ultramarine Blue, e com conseqüentes aplicações de Ultramarine Blue + Skull white nas camadas seguintes. Finalizada a última camada de highlight usei uma vez mais um wash de azul escuro para diminuir o contraste entre os highlights.

Esse foi o procedimento básico utilizado em todas as miniaturas, assim como nos tanques, que compõe o exército.

 

Bom, isso conclui o relato de como foi pintado o army Ultramarine ao longo de um mês. A meu ver, a lição mais importante aprendida por mim ao longo do mês em que pintei esse army foi a de que prazos são imprescindíveis para se pintar um exército. Há que se criar uma meta realística para completar-se o trabalho e ater-se religiosamente á ela. A formula ideal a meu ver é pintar uma miniatura por dia, mas sendo isso impossível, acho imprescindível dedicar 15 minutos diários à pintura para se completar o army, isto, é claro, se essa for sua intenção. Mais uma vez muito obrigado aos amigos que contribuíram no processo, seja com ações concretas ou palavras de estimulo e encorajamento. Que venha o próximo army! Deixo com vocês a foto de autoria do Topa mostrando todo o army. Close-up shots de todas as minis em breve.

 

 

Grande abraço!

 

PS: English version to come soon!

Comments
  1. Danilo says:

    Mestre,
     
    Mais uma vez parabéns pelo army, tá show!
    Queria deixar registrado aqui que ficou orgulhoso de, de certa forma, fazer parte desse "destacamento de elite da 3ª companhia". É muito bom ver uma trabalho final dessa qualidade e saber que tem um dedo seu aí.
     
    Abração
    Danilo
     
    PS: põe logo os closes nas minis!!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s