Um dos artigos recentes aqui no blog falava sobre o Warmachine, jogo de miniaturas produzido pela Privateer Press, onde o jogador assume o papel de um Warcaster comandando poderosas máquinas de guerra chamadas Warjacks em batalhas pela supremacia no reino de Immoren.A PP não se cingiu ao jogo de combate entre “robôs a vapor” e algum tempo depois lançou a contraparte animal do Warmachine: HORDES.Tudo aquilo que foi dito no artigo anterior sobre Warmachine acerca da fantástica ambientação do jogo e do cuidado dispendido pela PP com o universo por ela criado continua pertinente aqui já que ambos os jogos tem como pano de fundo o conturbado reino de Immoren.O Hordes segue a mesma linha do Warmachine, assim como a mecânica de jogo, só que ao invés de controlar um Warcaster e seus Warjacks em Hordes você controla um Warlock e suas Warbeasts.Como no Warmachine existem aqui 5 facções: Trollbloods; Skorne; Circle Orboros; Legion of Everblight e Minions. 

Os Trollbloods são uma raça de trolls e meio trolls que vivem nas florestas de Immoren, em especial a Thornwood Forest. Acossados por inimigos por todos os lados e subitamente traídos e abandonados por seus antigos aliados resta a eles fazer uso da força bruta para tentar sobreviver e ao mesmo tempo retirar as forças das nações civilizadas de seus territórios. 

 

 

Os Skorne são uma raça expansionista oriunda do leste de Immoren. Instigados a voltar suas forças para a região central de Immoren pelo rei deposto de Cygnar, Vinter Raelthorne, os Skorne fazem uso de bestas de guerra escravizadas e de antigas técnicas arcanas para subjugar qualquer raça que fique em seu caminho.

 

O Circle Orboros é um secto de druidas que cultuam o aspecto mais destrutivo de sua divindade, o devorador. Fazendo uso das forças da natureza e de construtos e bestas de guerra temíveis o Circle persegue sua própria agenda secreta ambicionando balancear a proporção entre o avanço da civilização e o “mundo natural”.

 

 

A Legion of Everblight é, como o nome aponta, a legião de seguidores de um dos dragões de Immoren, Everblight. Após sua destruição a essência de Everblight foi aprisionada em uma gema (o Athanc), gema esta que foi encontrada por Thagrosh o profeta de Everblight que, de acordo com os desígnios do seu mestre, criou a legião.Corrompidos pela essência do dragão os warlocks desta facção fazem uso dos Dragonspawn, monstruosidades criadas a partir do sangue do dragão à sua imagem e semelhança, como bestas de guerra.

A última das facções, a exemplo dos mercenários de Warmachine, são os Minions, criaturas e (ou) raças que podem ser empregadas por quaisquer das facções de Hordes ou mesmo de Warmachine. 

Sim você leu certo e não eu não estou errado. Os Minions de Hordes podem ser utilizados por armies de Warmachine e esse é outro ponto alto dos jogos criados pela PP: A interação entre os dois sistemas. Embora possuam algumas características que os diferenciem a mecânica básica do jogo é idêntica entre os dois sistemas o que permite que você dispute partidas entre warbands de Hordes contra outros warbands de Hordes ou contra battlegroups de Warmachine sem qualquer dificuldade.

A diferença fundamental entre os jogos é que enquanto Warmachine é um jogo onde o segredo é administrar recursos (os pontos de focus alocados pelo Warcaster nos Warjacks) no Hordes o segredo é o gerenciamento de riscos (os pontos de fúria gerados pelas Warbeasts).Como assim? Você deve estar se perguntando.

Como já havia falado no artigo anterior sobre Warmachine, um dos grandes segredos para o sucesso naquele jogo é usar sabiamente os pontos de focus gerados a cada turno pelo Warcaster para incrementar os ataques e rolagens de dano dos warjacks aumentando assim suas chances de acertar o inimigo e transformado ataques letais em golpes devastadores. Em Hordes não existe focus. O warlock pode forçar suas bestas a bater melhor ou mais forte (efetivamente aumentando as chances de sucesso como em Warmachine), porém cada vez que é forçada a fazer algo a warbeast ganha pontos de fúria. Mal geridos pelo jogador esses pontos de fúria podem fazer com que a warbeast se rebele, entrando em frenesi e atacando unidades amigas e até mesmo o próprio Warlock.

O jogador se livra dos pontos de fúria indesejados absorvendo-os com seu warlock, que os usa para conjurar magias, porém existe um limite para quanta fúria um warlock pode retirar de suas warbeasts em cada turno, daí o porquê de se dizer que o hordes tem como foco o gerenciamento de riscos.

O jogo conta hoje com o livro básico de regras, Hordes Primal, e com sua primeira expansão, Hordes Evolution. O primeiro livro trás o conjunto básico de regras do jogo bem como as regras de cada um dos warlocks e warbeasts, assim como unidades e solos, originalmente lançados com o jogo, assim como um primoroso relato do histórico de cada uma das facções e de seu atual “status quo” no universo de Immoren.Evolution avança a estória de cada uma das facções bem como introduz novas regras, unidades, warbeasts e warlocks ao jogo sendo assim indispensável ao jogador.A Privateer Press uma vez mais acertou a mão ao criar um jogo envolvente, de mecânica fácil e cativante, bem como mostrou respeito aos jogadores ao permitir através das regras a interação entre seus dois carros chefe.Assim cabe a você que se interessou pelo jogo escolher qual a sua facção ideal e mergulhar de uma vez em Immoren.

Quem sabe não nos enfrentamos em breve? 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s