Salve Leitor.

 

Eu costumo bater bastante por aqui na tecla dos torneios e frequentemente comento acerca dos torneios e, ou, eventos que tive a oportunidade de participar, mas isso tem um por que. Eu acredito piamente que a melhor coisa que qualquer wargamer pode fazer em prol de seu hobby, e de sua apreciação do mesmo, é programar-se e comprometer-se com a idéia de participar de ao menos um torneio.

 

Essa crença nasce de minhas experiências pessoais ao longo dos anos participando de torneios e encontros de jogadores em diversas cidades brasileiras. Em todas as vezes que me propus participar de um torneio, e me comprometi com essa idéia, eu sai desses eventos com a chama do hobby revigorada e acredito que qualquer cara que compartilhe comigo esse hobby vai sentir o mesmo. Primeiro por que acho que é encorajador poder encontrar, conversar, trocar idéias e jogar contra pessoas que compartilham do seu interesse nos jogos de estratégia (sem contar que é bom perceber que não se está sozinho nesse hobby que frequentemente é visto com estranheza por outras pessoas). Outro motivo é que o ambiente competitivo dos torneios, e a conseqüente preparação que isso demanda, bem como a possibilidade de enfrentar novos exércitos e táticas diferentes daquelas empregadas por adversários habituais serve como fonte de inspiração pra que cada um nós tente o seu melhor nos diversos aspectos do hobby.

 

É por isso então que vira e mexe eu continuo a compartilhar com vocês leitores minhas experiências e impressões acerca dos torneios realizados no Brasil, sempre com o intuito de incentivar os colegas de hobby a participarem de torneios. É justamente essa intenção que nos trás ao motivo do post de hoje.

 

Aconteceu em São Paulo nos dias 19 e 20 de novembro de 2011 a 3ª edição do Fork of Mork, evento aclamado uma vez mais pelos participantes e pela comunidade brasileira como um grande sucesso. O nome não deve soar estranho se você acompanha o blog há algum tempo e isso se deve ao fato de eu ter participado das duas edições anteriores do evento, bem como do evento “irmão” do FoM o Spoon of Gork (ou só SoG).

 

 

Como você deve saber a comunidade brasileira devotada aos jogos de estratégia está dispersa por todo o país e assim nem sempre é fácil encontrar outras pessoas com quem compartilhar o hobby. Dessa maneira o Fork of Mork nasceu em 2007 no vácuo deixado pelos antigos TVs e TIs (Torneios de Verão e Inverno respectivamente – organizados no Rio de Janeiro pelo Johnny e pelo Fabrício com a ajuda do pessoal do Warhammer Brasil) como fruto da vontade de um grupo de amigos em se reunir para jogar juntos o Warhammer 40.000. A primeira edição aconteceu no salão de festas do Silvio e desde então em cada encarnação subseqüente o evento continuou a crescer, sem deixar de lado o espírito de confraternização entre os adeptos do hobby não importando em qual área do mesmo esteja seu foco.

 

O que nos trás de novo ao FoM III. Realizado uma vez mais no Mie Kaikan (é o segundo realizado lá), pertinho do metrô da Vila Mariana o que facilita e muito o acesso de interessados e participantes, a 3ª edição do evento acabou tendo por foco uma vez mais o Warhammer 40.000, apesar do projeto inicial do evento prever um torneio de Warhammer Fantasy concomitante ao de 40K este, em virtude da pouca adesão da parcela da comunidade devotada a esse jogo, infelizmente acabou sendo cancelado.

 

Muito embora tenham sido oferecidas 28 vagas o torneio de 40K contou tão somente com 10 inscritos que puderam ao longo de dois dias e cinco rodadas disputar o troféu de “Melhor General” que acabou conquistado pelo Otávio “Tavitin” e seus Dark Eldar (que repetiu a performance do torneio individual no “Torneio Polar” realizado pelo clube Tropas Polares de Curitiba) tendo o segundo e terceiro lugares ficado com o Fernando “Rossi” e seus Ultramarines e o Fábio “Sephyr” e seus Chaos Space Marines respectivamente.

 

Um ponto recorrente nos comentários acerca do torneio, entre participantes e comunidade, tem sido os elogios tecidos à organização no tocante à beleza das mesas, e dos cenários que as compunham, nas quais o torneio foi disputado. Além das cinco mesas do torneio o evento contou ainda com mesas extras para jogos amistosos bem como uma área de pintura com todos os equipamentos à disposição de participantes e visitantes dispostos a pintar ali mesmo suas miniaturas e trocar experiências nesse sentido.

 

 

 

 

 

 

 

 

A meu ver outro aspecto dessa edição que merece destaque foi a qualidade dos exércitos apresentados, não só no que diz respeito à composição das listas, mas principalmente em razão da maioria deles, senão a totalidade, estar pintado o que contribui, penso eu, para tornar o torneio ainda mais aprazível para participantes e visitantes.

 

A competição nesse quesito foi também bastante acirrada com o prêmio de “Melhor Army Pintado” indo para o Cristiano “Normal” com seus Space Marines e o segundo e terceiro lugares sendo conquistados pelo Marcus “Arminor” e seus Black Templars e pelo Fábio “Sephyr” e seus Chaos Space Marines respectivamente.

 

Foram premiados ainda o “Campeão Geral”, prêmio conquistado pelo Cristiano “Normal”, e o “Jogados mais Esportivo”, conquistado pelo Carlos “Laprega”. Além dos oito troféus foram sorteados ainda diversos brindes para os participantes.

 

 

 

 

 

 

 

No fim das contas resto convencido que o Fork of Mork cumpriu uma vez mais o seu papel, mantendo inalterado seu espírito, ao promover a confraternização não só entre os adeptos do Warhammer 40.000, mas também de todos aqueles que em maior ou menor grau apreciam o hobby de jogar, pintar e colecionar miniaturas.

 

Ficam registrados aqui meus parabéns a toda a equipe da organização: Enéas, Fábio, Rossi, Silvio, Sócrates e Streem (extensivos ainda ao Antônio Jorge e ao Tocha) que não economizaram esforços e esmero no planejamento e execução do evento entregando para a comunidade um encontro memorável. Que venha o 4º Fork of Mork.

 

 

Para mais fotos e informações sobre o 3º Fork of Mork não deixe de conferir a bela cobertura fotográfica feita pelo Gabriel “Topa” no Da Fork of Mork III e o 4º edpisódio do Videolog produzido pelo André “Streem” o “RELOAD” (reproduzido abaixo para sua conveniência).

 

 

Grande abraço e até a próxima.

 

+++

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s