Well, I’m the newbie on this group and my name is Marcelo Ferrari.

 

I’ve always enjoyed gaming in general, specially Role Playing and Board games, but my only prior experience with the Warhammer 40K universe had been the PC strategy game which I still play.

 

Back then I didn’t even know there were miniatures from this universe or even a complete hobby behind them. It was an interesting discovery, even if a little frightening prospect when I found out about the cost estimates to get into the hobby

 

When the friend Gereth showed me his well painted miniatures and after watching a game on beautifully made scenery I got really interested in the hobby and decided to purchase the starter box called “Assault on Black Reach”. We were still on the last days of the game’s 5th edition.

 

In order to make sure I’d adapt to the hobby and taking advice from the more experienced friends I didn’t invest a lot in paints at first. I began by purchasing some basic paints made in Brazil thinking I wouldn’t spend much on them (My mistake as we’ll soon see).

 

As I had never pictured myself painting anything I decided to sacrifice some old metal miniatures I had lying around at home and began my tests with the paintbrush.

 

The first attempts may be summed up as a tragedy. I almost gave up given the way the miniature turned up (with no detail and poorly chosen colors applied at the clothes and skin of a metal figure).

 

First attempt.

 

I turned once more to my friend Gereth explaining how frustrated I felt and he began sharing some interesting painting tips.

 

I had the privilege of following the painting process of a warrior miniature from start to finish. Those were a few valuable hours where I learned essential techniques. Without them my paintjobs wouldn’t reach a minimum standard to get me excited enough to continue in the hobby.

 

Reading plenty of articles and tutorials on the web is valid but I don’t think that’s enough. Learning to paint with someone more experienced was, to me, fundamental.

 

With the valuable tips learned on that day I decided to paint my first miniature from the 40K starter box, starting with a Space Marine and achieving a reasonable result which was much different from my first attempts, but, as I had already seen other very well painted miniatures from hobby friends I was able to spot my flaws by myself. Talking with others about them I realized a lot of the trouble I had while painting stemmed from the Brazilian paints I had been using. That’s when I decided to invest on imported paints.

 

First AoBR miniature painted.

 

Given the ill-fated Games-Workshop embargo (which prohibits resellers all over the world to ship GW merchandise to Brazil) I decided to use the Army Painter line of paints, which are promptly available from a number of international wargame stores, and ended up buying most of their line of paints.

 

I waited for the new imported paint pots to arrive and after they did I decided to paint my first Ork Boy and was extremely satisfied (as far as a beginner is concerned) with the final result. For the first time I was able to apply the wash and drybrush techniques which yielded great results when applied to the muscles and face of the Ork. It took me around 4 hours to paint this Ork Boy.

 

First Ork Boy.

 

After experimenting with the Orks I can affirm that paint and paintbrush REALLY make a difference in the hobby and they’re a necessary investment. The imported paints cover the primed surface more easily, thus avoiding the need to apply the same color over and over again at the same spot. That had been obscuring the details of the miniatures which were covered under so many layers of paint.

 

I was then invited by Gereth to take part in the “A Tale of X Gamers” project, but at first I didn’t think it was time for me to commit to buy a 2000 point army. Back then I hadn’t even finished reading the rules of the 5th edition which came along the starter set and I also had no idea with which army I’d like to play. To be honest I had just started painting my first miniatures from the AoBR box and experimenting with the hobby in its most basic aspects.

 

A few days later the same friend invited me, not to watch a game, but to play an 800 points game with him. I played with Space Marines against TAU and despite not knowing the rules, which he explained as the game went on, I had a lot of fun.

 

I really enjoyed that game, a kind of game I had never played before: Miniatures at war at an impeccable scenery.

 

We then agreed that on my next game I’d bring the models from my AoBR box (even if they were unpainted, but a few of them already assembled). MY Orks would face the Space Marines of another hobby mate in a 500 points game. That was my second game and with each of them I enjoyed the game more and more.

 

I then decided to accept the challenge to participate on the “A Tale of X Gamers” project adding to the Orks I already had from the AoBR box. I realized by then I was already really into the game and also the hobby of assembling, painting and collecting miniatures.

 

I believe that this challenge will be very rewarding when it comes to the exchange of experiences between participants teaching me more about the hobby and the game.

 

My next step was to better prepare the miniatures I already own  for my next games. I Painted up 5 more Ork Boys, one at a time, using Brown paint for their pants and Green for their skin, applying washes and drybrushing and got the same result as before.

 

I then tried painting 10 Ork Boys in a batch. It took me a few days and I found it tiring to paint the same parts of 10 miniatures in sequence (skin, pants, belts, guns, etc), but, when completed, it was worth it if we take into account the total time it would take me to finish one Ork and begin another.

 

And this is how my 16 Ork Boys look:

 

The start of a mob.

 

Then I decided it was time to start on the Deffkoptas and they were a much different experience. I didn’t assemble the miniatures completely prior to painting. I started on the Orks first and when those were done I glued the parts together and started working on the aircrafts. I painted all 3 of them using a dark metallic color, after that I applied a layer of red paint on the rotors and bigger parts of the aircraft and finally a lighter metallic color drybrushed over everything. Some of the details like wires and missiles were done after that initial stage with more attention paid to them. I finally wrapped up using an orange wash to emulate rust and must admit liking the final result.

 

Deffkoptas.

 

So, for this first month, I’ve painted 16 Ork Boys and 3 Deffkoptas from the AoBR box which add up to 231 points. Here’s how they look:

 

Every WAAAGH! has to start somewhere.

 

My initial costs in the hobby break down this way:

 

R$ 220,00 (around U$D 110.00) for the Assault on Black Reach box.

R$ 200,00 (around U$D 100.00) in Brazilian paints and paintbrushes.

R$ 250,00 (around U$D 125.00) in imported paints (yes, I know I should have gone straight to them).

These add up to approximately R$ 670,00 ( around U$D 335.00).

 

My initial cost was quite steep, specially because ouf the paints. I did many small purchases and only added them up today. Had I known about this cost beforehand I might have had stuck with computer games (lol), but the hobby has a social part to it, which is gathering up with friends for a game and idle chatting so I consider that worth the investment.

 

For the next month I intend to purchase new miniatures (a battleforce and some elite units) increasing my army in size with around 500 points and while I wait for those I’ll finish painting the Orks I have left over from the AoBR box (1 Warboss, 5 Nobz and 4 other Boys) adding another 240 points to the painted army.

 

I’ve also bought some Vallejo paints to test next month, as well as some Army Painter static grass to dress the bases.

 

+++

 

Bom, sou o novato desse grupo. Me chamo Marcelo Ferrari.

 

Sempre gostei de jogos em geral, especialmente de RPGs de tabuleiro. Mas minha única experiência anterior com o universo do Warhammer 40K era somente o jogo de PC de estratégia, o qual ainda jogo.

 

Sequer sabia que existiam as miniaturas desse universo e muito menos um hobby completo por trás delas. Foi uma descoberta interessante, embora tenha me assustado quando fui informado das estimativas de custos do hobby.

 

Quando o amigo Gereth me mostrou suas miniaturas muito bem pintadas e especialmente depois de presenciar uma partida num cenário muito bem feito, me interessei bastante pelo hobby e decidi comprar a caixa básica Assault on Black Reach. Ainda estávamos nos últimos dias da 5ª edição.

 

Para ter certeza que me adaptaria ao hobby, e aceitando as sugestões dos amigos mais experientes, nesse primeiro momento não quis investir muito dinheiro em tintas. Foi então que iniciei comprando algumas tintas básicas nacionais da decorfix. Achei que iria gastar pouco (erro meu, como veremos abaixo).

 

Como nunca havia imaginado que algum dia pintaria alguma coisa, decidi sacrificar algumas miniaturas de metal antigas que tinha em casa e que estavam sem uso, e iniciar meus testes com o pincel.

 

As primeiras tentativas foram uma tragédia. Quase desisti de tão feias que ficaram (sem detalhe algum, e sem falar nas cores muito mal escolhidas para aplicar nas roupas e pele de um boneco de metal).

 

Primeira tentativa.

 

Mas voltei a conversar com o amigo Gereth, explicando a minha frustração, ele passou a me dar algumas dicas interessantes.

 

Tive o privilégio de acompanhar a pintura de uma miniatura de um guerreiro do inicio ao fim. Foram algumas horas muito valiosas. Aprendi algumas técnicas que para mim foram imprescindíveis! Sem elas, minhas pinturas não chegariam a um nível mínimo para me deixar empolgado o suficiente para continuar com essa nova experiência.

 

Ler vários artigos e tutoriais na internet é bastante válido, porém não acho que seja suficiente. Aprender a pintar com alguém mais experiente, para mim, foi fundamental.

 

Com as valiosas dicas que aprendi aquele dia, decidi encarar a primeira miniatura da caixa básica do Warhammer 40K. Mandei ver no Space Marine. O resultado até que foi razoável. Muito diferente das primeiras tentativas.

 

Primeiro Space Marine.

 

Mas como já tinha visto outras miniaturas muito bem pintadas pelos amigos do hobby, eu mesmo já tinha percebido minhas falhas. E trocando ideias sobre isso, entendi que boa parte das dificuldades enfrentadas foram causadas pelas tintas nacionais que estava usando. Foi quando decidi investir nas tintas importadas.

 

Devido ao malfadado embargo da Games Workshop ao Brasil (revendedores do mundo todo foram proibidos de enviar produtos GW para cá), acabei optando pelas tintas da Army Painter, que posso comprar facilmente em qualquer loja internacional de wargames. Comprei praticamente todo o set de tintas deles.

 

Aguardei essas tintas importadas chegarem e resolvi pintar um primeiro ORK BOY, e fiquei MUITO satisfeito (para um iniciante) com o resultado obtido. Pela primeira vez consegui aplicar as técnicas de wash e dry brush, que nos músculos e rosto dos ORKS ficaram bem legais. Levei mais ou menos umas 4 horas para pintar esse boy:

 

Primeiro Ork Boy.

 

E depois de experimentar nos ORKS, posso afirmar que tinta e pincel realmente fazem diferença no hobby. O investimento é necessário. As tintas importados cobrem mais facilmente a superfície da miniatura primada, evitando que eu tenha que aplicar várias e várias camadas da mesma cor no mesmo lugar. Isso inclusive estava prejudicando os detalhes da miniatura, que ficavam encobertos por tantas camadas.

 

Nessa época fui convidado pelo Gereth para participar do projeto “A tale of X Gamers”. Inicialmente achava que não era o momento para entrar num compromisso de adquirir um army de 2000 pontos.

 

Eu ainda não havia sequer terminado de ler as regras do livro da 5ª edição que veio na caixa Assault on Black Reach, e não tinha ideia de qual army gostaria de jogar.

 

Estava somente iniciando os testes com pintura das primeiras miniaturas da caixa, em 1 ORK BOY e 1 SPACE MARINE. Na verdade, ainda estava experimentando o hobby nos seus mais iniciais aspectos.

 

Alguns dias depois o amigo Gereth me convidou, não para presenciar uma partida na casa dele, mas par JOGAR uma partida de 800 pontos contra ele. Joguei com marines e ele com TAU. E apesar de não saber as regras ainda, as quais ele ia explicando enquanto jogávamos, foi bastante divertido.

 

Gostei muito daquele jogo. Um tipo de jogo que nunca tinha jogado antes: miniaturas em guerra num cenário impecável!

 

Em seguida combinamos que no próximo jogo iria trazer as miniatures da minha caixa básica, (mesmo que não pintadas, mas boa parte já montada), para participar do próximo confronto.

 

Meus ORKS iriam enfrentar Space Marines de outro amigo do hobby, num jogo de 500 pontos. Essa foi minha segunda partida. E a cada partida gostava mais e mais o jogo.

 

Decidi então aceitar o desafio de participar do projeto “A tale of X Gamers”, complementando meus ORKs da caixa básica. Percebi que já estava gostando muito do jogo em si, e também do hobby: colecionar, montar e pintar miniaturas.

 

Acredito que o desafio vai ser bastante rico na troca de experiências entre os participantes, e vai me ajudar bastante a aprender mais sobre o hobby e o jogo.

 

Meu próximo passo foi preparar melhor as minis que tenho (as da Caixa Básica) para as próximas partidas.

 

Pintei mais 5 ORKS boys, um de cada vez. Calça marrom e pele verde, com wash e drybrush. Mesmo resultado anterior.

 

Depois, separei mais 10 ork boys para pintar todos de uma vez só. Foram alguns dias. Achei cansativo pintar sempre a mesma parte de 10 minis em sequência (pele, calças, cintos, armas, etc), mas quando concluídas, valeu a pena, se considerar o tempo total que levaria para finalizar um ork para iniciar outro.

 

E assim ficaram meus 16 Ork Boys:

 

Começo de uma Ork mob.

 

Decidi então encarar os DeffKoptas. A experiência foi bem diferente.  Não montei as miniaturas de início. Iniciei a pintura dos orks primeiro. Finalizados esses, aí sim colei as partes e iniciei a pintura das aeronaves. Pintei todos os 3 como uma cor metálica escura, passei uma camada de tinta vermelha nas hélices e partes maiores da aeronave, e depois um drybrush metálico mais claro em tudo. Alguns poucos detalhes como fios, misses, etc, forma feitos com mais calma ao final. Joguei um wash alaranjado ao final para imitar ferrugem. Achei que o resultado ficou legal.

 

Deffkoptas.

 

Para esse primeiro mês, portanto, foram pintados 16 ORK BOYS e 3 Deffkoptas da Caixa Básica, totalizando 231 pontos.

 

E aqui está meu bando atual de ORKs pintados:

 

Toda WAAAGH! que se preze precisa começar em algum lugar.

 

Meu custo inicial no hobby foi o seguinte:

 

– R$ 220,00 na caixa Assault on Black Reach;

– R$ 200,00 em tintais e pinceis nacionais;

– R$ 250,00 em tintas importadas (é… eu sei, devia ter ido direto para as importadas, hehehe);

TOTAL: R$ 670,00 aproximadamente.

 

O custo inicial com o hobby é bastante alto, principalmente por causa das tintas. Fiz várias compras picadas e que só hoje tinha parado para somar tudo. Talvez se soubesse desse custo todo antes do início teria voltado a jogar games de PC. Hehehe

 

Mas o hobby tem a parte social, que é a reunião com amigos para jogar uma partida e jogar conversa fora. Já valeu o investimento.

 

Para o próximo mês pretendo adquirir novas miniaturas, (uma battle force e mais algumas unidades de elite), aumentando meu army adquirido em mais uns 500 pontos, e enquanto aguardo chegarem, vou terminar de pintar o conteúdo ORK da caixa básica (1 Warboss, 5 noobs, e outros 4 boys), acrescentando mais 240 pontos de ao army pintado.

 

Comprei também algumas tintas da Valejjo para testar mês que vem, bem como um pouco de Static Grass da army painter para enfeitar as bases.

Comments
  1. Eduardo says:

    Bacana essa iniciativa, estou querendo começar no hobby e agora além dos meus cálculos tenho aqui pra consultar.

  2. dbitten says:

    Marcelo,

    Parabéns pela iniciativa. Eu sou iniciante também e sei como é dificil se manter motivado contra os custos e dificuldades iniciais.

    Te desejo sorte na empreitada e quero ver estes Orks vindo para o Sul jogar com o CGW.

    • Valeu, dbitten! Essa iniciativa do Gereth de criar o “A tale of X Gamers” fui fundamental para encarar o desafio. Com esse projeto, com posts mensais de cada participante, acho que motivação não vai faltar.

      Qualquer dia vou ai conhecer o Clube Gaúcho. =D

  3. Normal says:

    Muito bom! Seu início está sendo melhor do que o meu foi, hoje em dia eu pinto devagar, mas quando comecei ia mais devagar ainda haha. Parabéns!

    • Valeu Normal!
      Você não sabe mas eu já bisbilhotei muito sua galeria de fotos no fórum! Algumas inspirações saíram de lá. Hehehehe. Ainda to tentando descobrir como fazer aqueles olhos azuis esbugalhados do gretchin… =D

  4. Argentbadger says:

    Great start. I wish that my first attempts at painting had been as good as them. Though I don’t envy you the start up costs, that seems rather steep even for a luxury hobby like miniature wargaming.

    • Thanks, Argentdabger,

      The initial cost is really a problem.
      This is the expensivier game I´ve ever played!

      But it is fun and addictive =D

      If I havent purchased the wrong paints, I could have saved some money…

  5. Wulfgar says:

    Cara, eu gostei muito das tuas minis, você está de parabéns, estão realmente muito caprichadas!

    Só achei que vc deu mole ao contabilizar os seus custos, até das tintas nacionais, eu prefiro as da acrilex, eles recentemente lançaram a linha natura colors, eu só recomendaria a importar as tintas metálicas (ou a comprar as nacionais da Daiara, mas as metálicas da vallejo são melhores, e você as compra a um preço acessível na loja Wayland Games e outras lojas).

    Ainda sobre as tintas, era bom relacionar o que você comprou, porque parece ter sido muita coisa! Quando comprei minhas tintas nacionais, pincéis, spray fosco preto (pra dar o prime) e spray de verniz, a soma deu mais ou menos 80 reais, e ainda assim tinha tinta que eu nem viria a precisar. Também comprei 3 kits de tinta da vallejo, linha Game Collors, na loja Maelstrom Games (mas tive problemas com esta loja, por isso não a recomendo mais), mas devo ter gasto aí entre 90 e 120 reais, os preços dos 3 kits somados (não fui taxado, pois pedi um de cada vez, e vale a pena ficar de olho, pois de tempos em tempos eles fazem promoções com fretes gratuitos).

    No final, passei por uma situação parecida com a sua, comprando tintas nacionais e importadas, mas o meu gasto com elas foi mais ou menos metade do que você pagou! Só pensei que esse custo elevado das mesmas poderia assustar aos novatos de bobeira!

    Até mesmo a caixa da Assault on Black Reach, o ideal seria q fosse dividida entre você e um camarada, afinal são 2 exércitos diferentes, mas enfim, eu adorei o artigo e suas minis, e vou acompanhar ver as continuações!!

    • ferrarimaf says:

      Valeu Wulfgar,
      Comprar um monte de tintas nacionais realmente foi um erro de novato. Não parei pra contar quantas, mas foi bastante sim. E sim, tem cores que sequer usei, e nem sei se vou usar algum dia. No próximo post vou incluir uma imagem da coleção que possuo hoje.

      De qualquer forma, apesar de usar mais tintas importadas para pintar as minis, ainda uso as tintas nacionais: no Highlight da pele dos Orks, nas mochilas e cintos e nas bases. Uso também para fazer os washes.

      E pretendo usar essas tintas nacionais para pintar cenários.
      As metálicas nacionais realmente não prestam. Essas sim me arrependi de comprar. Além de caras não tem qualidade. É infinitamente melhor importar. Sai mais barato e são melhores.

      Também importei tintas da wayland e maelstorm, em várias compras picadas. Não paguei frete em nenhuma compra com eles.

      Ainda não tive vontade de dividir a caixa da AoBR. Gostei dos marines. Acho que vou pinta-los também pra jogar com a esposa. Kakaka.

  6. Von says:

    I love these Orks. You show much of the joy of a new hobbyist, the willingness to have a go and paint things in slightly wild colour-schemes, but you bring a certain science to it, a will to test different paints and styles, and you’re coming along leaps and bounds with every model. Love it.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s