Hello Reader.

 

Continuing our sequence of “Road to Mordheim” articles today’s article focuses on the creatures I knew I’d have in the Warband ever since I decided to have a Vampire Counts Warband, and as the title of this article implies, no I’m not talking about vampires.

 

If you’ve read my first article in this series you know by now my Warband focuses on a Strigoi vampire, sent to Mordheim at the behest of a more powerful “master” for some reason we still don’t know.

 

In the Warhammer Fantasy background Strigoi vampires are bestial creatures, little more than ravening beasts, often called “Ghoul Kings” because of their association with these famous fantasy creatures.

So that’s why I knew I’d have ghouls on my warband even if back then I didn’t know if they were good or not in the game (still haven’t got an opinion on them), but I hadn’t decided on which models I’d use. Unlike my zombie dilemma, I really like the look of Games Workshop’s old metal models, while thinking the new plastic ones look a little too hunchbacked for my tastes, so I decided to find something along those lines I liked.

 

I came across Heresy Miniatures’ ghouls and fell in love with them immediately, ordering a bunch of them straight away, however the package with them got here and was sent back to the sender (because I didn’t get the notice from the post office saying I had a package waiting there for me), meaning that I wouldn’t get Heresy’s models in time for my plans (as at that time I still intended to field the fully painted Warband at our meeting at the 1st PAPOCON).

 

I went with the original GW models as a backup plan, salvaging a few of them I had here for some conversion plans, and using them for my Warband instead.

 

I went with a pretty straightforward paint scheme for them using a pink fleshtone, mainly drybrushed on, for a quick and effective paintjob. I also used the recently learned blood recipe to add some gruesome detail to the ghouls’ claws and weapons showing they had recently dispatched, and feasted on, some poor victims. I also tied to paint a glow effect on their eyes using OSL but I still haven’t grasped the proper way of doing it. Guess I’ll just have to keep practising.

 

 

The four ghouls from the Warband.

 

Seen here from the back.

 

Ghoul #1. I used the blood on his mouth and chest to convey the idea he had been feeding.

 

Ghoul #1 from the back.

 

Ghoul #2.

 

Ghoul #2 from the back.

 

Ghoul #3. This one has used a rock to bash someone’s head in.

 

Ghoul #3 from the back.

 

Ghoul #4. This is a duplicate from ghoul #2 so I did some tweaking to its arms and painted blood on it in different places to convey it’s a different creature.

 

Ghoul #4 from the back.

 

I am happy with the final result and look forward to adding a few more to their numbers now that my Heresy ghouls arrived (with accompanying candy).

 

This is a new series of articles here on the blog I intend to keep going for a while, so if you’ve missed any of the previous posts you can click the links to check “Road to Mordheim” part 1 and part 2.

 

More to come soon.

 

+++

 

Olá Leitor!

 

O artigo de hoje da sequência à série de artigos “Road to Mordheim” sobre o processo de construção do meu Warband de vampire Counts para o jogo de Mordheim.

 

Além dos zumbis sobre os quais escrevi no artigo anterior, outra unidade esteve em minha mente desde o inicio do processo criativo do Warband. Como já deixei claro no primeiro artigo desta série meu Warband retrata um grupo de um vampiro Strigoi enviado por seu mestre para Mordheim em uma missão sobre a qual ainda não sabemos muita coisa.

 

Bom, no universo do Warhammer Fantasy os Strigoi são vampiros bestiais, pouco mais inteligentes que animais, e frequentemente são conhecidos pela alcunha pouco elogiosa “Ghoul Kings” devido a sua associação próxima com essas criaturas famosas da fantasia (não que eles se importem com o nome).

 

Justamente por isso eu sabia que iria colocar ghouls no Warband, já que eles eram a escolha óbvia (flufficamente falando) para acompanhar o Strigoi Gorgoloth, mas diferente do que aconteceu com os zumbis, eu gosto muito mais dos ghouls antigos produzidos pela Games Workshop, do que dos novos produzidos em plástico (todos corcundinhas), mas ainda mais legais que os ghouls da GW são os ghouls produzidos pela Heresy Miniatures, motivo pelo qual encomendei alguns deles para integrar o warband.

 

Acontece que o pacote com os ghouls da Heresy acabou batendo e voltando por aqui (os Correios não entregaram em casa o “Aviso de Chegada” avisando que o pacote estava armazenado nos Correios e aguardando a retirada e nessa a encomenda foi devolvida ao remetente) e um novo envio dificilmente os entregaria a tempo. Na época meu plano ainda era ir ao encontro em São Paulo (1ª PAPOCON) com o Warband todo pintado, motivo pelo qual me socorri na segunda melhor opção e utilizei alguns dos ghouls antigos da GW mesmo que eu tinha a minha disposição por aqui e pretendia usar em uma conversão.

 

Pintei os ghouls em um tom de pele puxado para o rosa (talvez consequência da alimentação pouco convencional dessas criaturas) empregando basicamente o drybrush para uma pintura rápida e efetiva, e usei uma vez mais a receita de sangue fresco que empreguei nos zumbis para realçar a natureza mortífera dessas criaturas, aplicando essa mistura de forma a evidenciar que eles acabaram de matar (e alimentar-se de) alguma infeliz vítima. Também tentei uma vez mais pintar uma luminescência nos olhos das criaturas, que ainda não ficou como vejo algumas pessoas pintando por ai necessitando mais pratica até que eu pegue o jeito de fazer o efeito de maneira convincente.

 

Os quatro ghouls do warband vistos em grupo.

 

Visão do grupo de costas.

 

O ghoul nº 1. Usei o sangue na boca e no peito de forma a transmitir a idéia que ele acabou de se alimentar de alguém.

 

Ghoul nº 1 visto de costas.

 

O ghoul nº 2.

 

Ghoul nº 2 de costas. Detalhe para o “barbantinho cheiroso” que eles usam.

 

O ghoul nº 3. Esse cara pelo jeito usou a pedra que carrega para esmagar a cabeça de alguém.

 

Ghoul nº 3 visto de costas. Esse tem até uma cabeleira.

 

O ghoul nº 4. Esse modelo é igual ao ghoul nº 2, então pra diferenciar um pouco modifiquei a posição na base, entortei um pouco o braço esquerdo e apliquei sangue em lugares diferentes.

 

O ghoul nº 4 de costas.

 

Fiquei satisfeito com o resultado obtido e devo acrescentar mais alguns ghouls ao bando agora que as minis da Heresy Miniatures chegaram (e com doces!).

 

Lembrando que esta é uma nova série de artigos aqui no blog, então, se você perdeu algum dos posts anteriores pode clicar os links para conferir a parte 1 e a parte 2 da série “Road to Mordheim”.

 

Mais em breve.

Comments
  1. greggles says:

    These guys look great! Might be worthwhile at some point dry brushing, or washing the skin so it’s a bit more “decaying/dead” color. Of course these could be fresh ghouls!

    • Gereth says:

      Hi Greggles!

      Yes, I agree. I might try that on the other models I have here, as those shown on the article have already been varnished prior to having the blood/gore applied to them.

      Thanks for your comment mate.

      Cheers.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s