Hello Reader.

 

This is the Portuguese version of  the Figopedia book review. You can check the following link in order to read the English version.

 

Happy new year! Over and out.

+++

 

Olá Leitor.

 

Este é o artigo que eu demorei DEMAIS pra escrever. Ele me assombrava rotineiramente e já perdi as contas de quantas vezes me sentei em frente ao computador para escrevê-lo, abandonando-o no meio do processo ou desistindo de escrevê-lo enquanto organizava minhas idéias para ele. Acho que agora vai.

 

Se você acompanha o blog vai se lembrar que em 2014 eu postei aqui um artigo recomendando aos meus leitores que participassem no financiamento coletivo do livro FIGOPEDIA, o primeiro volume de uma coleção de livros sobre o hobby de pintura de miniaturas escrito por Jérémie Bonamant Teboul.

A campanha para o financiamento do livro foi um grande sucesso, arrecadando um total de €34,436.00 (trinta e quatro mil, quatrocentos e trinta e seis euros) e garantindo a publicação do livro que, a meu ver, pelo preço de €35 (trinta e cinco euros) já com o valor da postagem incluso era uma barbada. Como costumo fazer sempre que recomendo algo para vocês aqui no blog eu coloquei meu próprio dinheiro em jogo e apoiei a campanha, e agora é hora de finalmente fazer uma resenha do produto final e compartilhá-la aqui com meus leitores.

 

“Mas você só recebeu o seu livro agora?” Você pode me perguntar neste momento. Não, eu recebi o livro já tem um bom tempo (ainda no ano passado, no começo de 2015) e já o li pelo menos duas vezes de cabo a rabo e consultei mais algumas outras vezes. Como eu disse eu demorei MUITO pra escrever este artigo.

 

Bom, sem mais delongas, vamos à resenha:

 

Bom, o Figopedia é mesmo tudo aquilo que eu esperava quando publiquei o artigo original anos atrás. Impresso em cores, em tamanho A4, papel brilhante e encadernado com uma capa mole o livro possui acabamento que só posso descrever como primoroso e ricamente ilustrado, ele devota 120 páginas ao estudo e compreensão da luz e da cor aplicadas à pintura de miniaturas, estando disponível tanto em inglês como em francês.

 

Existem outros tantos livros dedicados ao assunto e um sem número de artigos da internet abordando o mesmo tema, pintura de miniaturas, porém o grande apelo do Figopedia Vol. I (acho que essa é a melhor maneira de chamar esse livro já que a proposta é criar uma enciclopédia sobre a pintura de miniaturas – daí o nome) é finalmente ter o tema aplicado diretamente ao hobby de pintura de miniaturas e escrito por alguém que entende o hobby e seus meandros.

 

O autor passeia pelos temas de maneira bastante didática, abordando primeiramente o uso da luz (iluminação) na pintura de nossos pequenos modelos (e ao mencionar “luz” eu me refiro aqui à pintura da miniatura de modo a sugestionar a incidência de luz, e não à iluminação do seu espaço de trabalho), indo do básico como a incidência de luz sobre diferentes formas, como sugestionar a direção da incidência (fonte) de luz e os tipos de iluminação com os quais podemos trabalhar na pintura ao avançado como, por exemplo, criar um ponto focal com a aplicação da luz na miniatura ou ainda criar toda uma atmosfera com o uso da sugestão da luz através da pintura representando-a no modelo.

 

A segunda metade do livro foca no uso da cor e sua aplicação na pintura, abordando desde conceitos básicos como a importância da cor, tom, claridade e saturação de cor, bem como a sempre mencionada (e pouco entendida) teoria das cores e a sua aplicação na pintura de miniaturas, dentre outras, através da criação de diferentes tipos de contraste e harmonia. O tema das cores continua a ser desenvolvido abordando o uso de paletas limitadas, contraste entre cores frias e quentes, e o uso da cor para criar uma atmosfera e transmitir sentimentos ao observador.

 

A leitura dos dois parágrafos anteriores pode sugerir a você Leitor um livro denso e ele realmente é, já que diferente dos tão comuns manuais de pintura “passo-a-passo” bastante difundidos no hobby e frequentemente publicados pelas grandes companhias que produzem as miniaturas mais populares no mercado, o Figopedia Vol.1 não trás para o seu leitor qualquer sequência de fotos ilustrando a pintura passo a passo, muito pelo contrário, o livro é um tratado artístico sobre pintura abordando e informando seu leitor sobre técnicas e conceitos pertinentes aos temas de luz e cor, aplicadas à pintura de miniatura, mas que servem também perfeitamente para a pintura em outras mídias.

 

“Ah, então esse livro é complexo demais e não vai servir pra mim!” Vai sim Leitor, pode confiar. A despeito da matéria aparentemente complicada abordada no livro, como já mencionei aqui, os textos são escritos de maneira bastante didática, sem complicações ou linguagem rebuscada, e sempre explicando a aplicação das teorias, conceitos e técnicas com exemplos ilustrados.

 

“MEODEOS, preciso desse livro!” posso escutar através do monitor os pensamentos de alguns de vocês leitores. Bom, é fácil conseguir o livro já que ele ainda está a venda no site do autor (Figone) onde pode ser adquirido pelo mesmo valor originalmente cobrado na campanha de financiamento (€35 já com a postagem inclusa), porém sem a miniatura que o acompanhava naquela oportunidade.

 

Acho que nem é preciso dizer que recomendo muito a leitura do livro, já que os temas nele abordados impactam imediatamente a maneira como se pensa e aborda a pintura de miniaturas e embora o livro não produza o milagre de transformar o leitor em um novo Jérémie Bonamant, certamente oferecerá subsídios para a jornada no hobby, além de proporcionar uma oportunidade única de entender o processo criativo do autor o que a meu ver permite um vislumbre dos motivos pelo qual ele é celebrado como uma autoridade no assunto e um dos maiores pintores de miniatura do mundo.

 

“Ok, já entendi que o livro é bom, mas precisa tanta babação de ovo com o autor?” Cara, precisa. Se você é um convertido recente ao hobby de pintura (e colecionismo) de miniaturas é bem provável que o nome Jérémie Bonamant Teboul não lhe seja familiar, mas aqueles dentre meus leitores que acompanham esse hobby a mais tempo certamente já ouviram falar dele. Como mencionei no parágrafo anterior ele figura como um dos maiores ganhadores do torneio de pintura promovido pela Games Workshop (o Golden Demon) assim como do torneio Crystal Brush (torneio de pintura realizado anualmente na Adepticon nos Estados Unidos onde o autor figurou entre os top winners em 2013 e 2014) e sempre foi uma referência no hobby, porém, com o passar dos anos e outros projetos pessoais ele acabou sumindo um pouco dos holofotes, porém jamais deixou de estar ativo.

 

A peça apresentada pelo Jérémie Bonamant no Crystal Brush de 2013.

 

O trabalho do Jérémie Bonamant premiado no Crystal Brush em 2014.

 

Uma das peças premiadas do mestre.

 

Rocco, pintado pelo Jérémie. Outra peça da linha de miniaturas Figone financiada coletivamente.

 

Incrível poder ver ao vivo uma peça que já tinha visto nas páginas da White Dwarf. Outro modelo premiado de autoria do Jérémie.

 

Outro trabalho premiado do Jérémie.

 

Também não faço segredo de que sempre fui um enorme fã do cara, o que nos trás a segunda parte deste artigo. Quando esbarrei com a campanha de financiamento do Figopedia, Vol. I eu mal pude conter a excitação em finalmente poder consumir material produzido por um dos meus ídolos da pintura de bonequinhos em uma língua em que posso compreender completamente o que é compartilhado (como já disse no artigo original sobre o Figopedia aqui no blog eu tenho outros livros sobre pintura em que o Jérémie Bonamant foi colaborador, mas eles estão em francês, língua que preciso de um dicionário e um tanto de boa vontade para entender).

 

Desde que encontrei a campanha era claro que eu iria financiar a produção do livro, mas, navegando pela página no Indiegogo percebi que era oferecida ali uma oportunidade única, 5 dias de aulas particulares com o autor em sua casa em Lyon na França com hospedagem e alimentação inclusos no valor. Na época, com as taxas cambiais em prática no Brasil, o valor era convidativo e assim sem pensar muito, mas depois de consultar minha senhora, contribui para a campanha de financiamento do Figopedia Vol. I de forma a garantir a recompensa do curso.

 

Um pouco do acervo do Jérémie.

 

Um Lord of Change / Daemon Prince de Tzeench.

 

Uma Troupe Master dos Harlequins.

 

Outra Harlequin.

 

Um ogro.

 

Inspiração diária em frente ao meu local de trabalho durante a estadia com o mestre.

 

Belos modelos da linha de Senhor dos Anéis da Games Workshop, como esta Galadriel…

 

… ou ainda este diorama com ninguém menos que Bilbo Baggins…

 

… e esta incrível vista detalhada do Bolsão.

 

Outra preciosidade criada a partir de um velho relógio de bolso.

 

Para minha surpresa fui prontamente contatado pelo Jérémie Bonamant que explicou de antemão como funcionaria o curso, hospedagem, etc. Ele não poderia ter sido mais solícito e disponível durante toda a comunicação, mesmo estando ainda na Índia, por onde ele viajou de bicicleta durante um ano (entre 2014 e 2015).

 

Com o sucesso da campanha era só questão de esperar a data marcada para o curso, e foi assim que em Abril de 2015 me encontrei na cidade de Lyon, na França, para uma semana de curso com ninguém menos que Jérémie Bonamant Teboul.

 

Encontrando a lenda!

 

Eu cheguei a Lyon em um final de tarde e sem falar uma única palavra de francês me virei para pegar um taxi e depois localizar o prédio em que o Jerémie morava. Graças a uma consulta prévia ao Google Street View, acabei identificando o prédio e pouco depois estava sendo recebido pelo mestre. O curso propriamente dito teve inicio somente no dia seguinte e após a avaliação pelo professor de alguns de meus modelos que levei para esse propósito. Classificado em um nível intermediário avançado de pintura por ele ficou claro pra mim desde o início que a curva de aprendizado seria bastante íngreme.

 

Escolhida a miniatura com a qual iríamos ambos trabalhar, o gigante Moloch ainda inédito naquele momento, o mestre assumiu seu papel em ensinar e eu me recolhi ao papel de aprendiz. E foi assim, meio mesmerizado, que assisti ao longo de cinco dias à pintura da figura com o emprego da técnica conhecida como “wet blending” (“mistura molhada de tintas” em uma tradução livre) que consiste em aplicar tonalidades distintas ao modelo e misturá-las enquanto ainda estão úmidas. Essa é a técnica mais largamente empregada pelo professor em seus trabalhos e era, segundo a sugestão do mesmo, o foco principal do nosso curso.

 

O gigante Moloch pintado pelo Jérémie durante minha estadia e ao longo do curso.

 

Um bom exemplo dessa técnica pode ser conferida neste vídeos do próprio Jérémie Bonamant:

 

 

 

A técnica aparentemente simples demanda prática para seu domínio. Posso dizer que fui surpreendido pela técnica e me lembro de pensar enquanto observava “como vai sair uma pintura desse barro de tinta que se forma com a mistura das cores” enquanto observava ele pintando pela primeira vez, e no entanto, em todas as vezes ao final de cada sessão de pintura, lá estava o resultado final.

 

Ver o cara pintando ao vivo ali pertinho e poder acompanhar cada pincelada só contribuiu para sedimentar em meu ideal a impressão que eu já possuía sobre o Jérémie Bonamant: Mais do que um excelente pintor de miniaturas, o cara é um artista em sua essência dando vazão à criatividade nas mais diversas formas, seja nas miniaturas, em suas aquarelas ou através da música. O que para mim e outros tantos hobbystas é fruto de estudo, para ele vem naturalmente, porém as habilidades do cara não foram conseguidas sem esforço também. É notável o quanto o próprio Jérémie estoudou e se dedicou ao longo dos anos.

 

O mestre aplicando tinta no modelo. Nessa etapa ele usava algumas imagens de referência para pintar o escudo do gigante.

 

Moloch! Aqui ainda um trabalho em progresso (WIP).

 

Minha canhestra tentativa de emular o trabalho do Jérémie colocando em prática seus ensinamentos.

 

Pra minha tristeza devo confessar que minhas tentativas de por em prática os ensinamentos do mestre foram pífias, muito em razão de minhas limitações e hábitos de pintura já um tanto arraigados. Ainda assim o curso todo foi muito proveitoso e tenho incorporado a minha rotina de pintura alguns dos ensinamentos do mestre (que agora me assombra toda vez que me pego tocando a miniatura enquanto pinto), e um pouco do que pude aprender papeando com ele ao longo das sessões de pintura.

 

Quase igual! Obrigado por tudo Jérémie! Ou como vocês dizem ai “mérci”!

 

Devo admitir ter trazido comigo muito mais que as lições de pintura e espero poder um dia retornar para mais uma semana de aulas com o mestre e quem sabe um dia poder retribuir a calorosa acolhida. Jérémie, Nathalie e Regis, se vocês um dia aprenderem Português e se pegarem lendo este artigo, recebam uma vez mais o meu muito obrigado pela fantástica recepção, ou, como dizem por ai “mérci”!

 

Encontrei um dos Golden Daemons do Jérémie.

 

O espaço de pintura compartilhado com o mestre! Inspiração por todos os lados.

 

Experimentando um pouco da autêntica culinária francesa…

 

… e entendendo um pouco do que é o “joie de vivre” desse povo tão acolhedor.

 

“Acabou?” Quase!

 

Este artigo é o último artigo de 2016 e marca o término do desafio pessoal que me propus de publicar um artigo por mês ao longo do ano aqui no blog. Fico feliz por ter conseguido honrar o compromisso com meus leitores, mas em especial para comigo, mostrando que, querendo, eu consigo domar a maldita besta da procrastinação, e assim, para celebrar a meta alcançada e por finalmente estar publicando esta resenha  quem vai ganhar um prêmio é você, leitor do The Painting Frog.

 

Eu vou sortear duas cópias do Figopedia – Vol. I para os leitores do blog, uma no artigo em português e outra no artigo em inglês publicado aqui. Para participar do sorteio você só precisa deixar um comentário aqui no artigo dizendo o que achou do conteúdo publicado pelo blog ao longo do ano e o que gostaria de ver aqui no ano que vem.

 

Além do comentário, você precisa seguir as outras redes sociais do blog, ou seja, dar um like em nossa página do Facebook, increver-se em nosso canal do Youtube e, por fim, seguir o Instagram do blog.

 

Assim que as redes sociais do blog tiverem ganho 100 novas curtidas, likes, inscritos e assinaturas, em cada uma delas, eu vou sortear um comentário deste artigo e um comentário do artigo em inglês e se o comentário sorteado preencher aos pré-requisitos, ganha uma cópia do livro. Moleza, né? Enquanto escrevo este artigo nossos números são 110 inscritos no canal do Youtube, 257 em nossa página do Facebook e 447 seguidores no Instagram.

 

Então, não perca tempo, comenta logo aí, participe das redes sociais do blog e compartilhe o sorteio pra que a gente bata logo o número de inscritos em cada uma das nossas redes sociais. Vale lembrar que estarei fora no mês de Janeiro, então, se batermos a meta de novos likes/inscritos/seguidores nesse meio tempo, podem esperar o sorteio em Fevereiro de 2017.

 

Aproveito para registrar desde já meu muito obrigado por me acompanhar ao longo de 2016 e desejar a cada um de vocês leitores um feliz  ano novo repleto de saúde, realizações e bonequinhos!

 

Por hora é isso pessoal.

 

Até breve.

Advertisements
Comments
  1. Legal o artigo! Apesar já ter conversado com você antes sobre essa viagem, é legal ler a respeito e ver as fotos da aventura, que ainda não tinha visto. E tô embasbacado de saber que ele pintou algo no nível do gigante em 5 míseros dias!

    • Gereth says:

      Fala Normal!

      Cara, devo admitir estar aliviado em finalmente escrever esse relato. Foi mesmo uma experiência única que dificilmente eu poderia repetir hoje em dia com nossa atual situação cambial!

      E sim, a velocidade de pintura do Jérémie é impressionante. Ele não pintou 100% do modelo durante o curso mas ficou faltando BEM pouco!

      Grande abraço e obrigado pelo comentário meu caro.

  2. João Marcelo says:

    Fodaraço o artigo, Gereth! Tu já tinha me contado pessoalmente da experiência, mas gostei que aqui tu entrou no aspecto mais didático do curso. Deu pra imaginar lá o Jeremie pintando e vc segurando o pincel :p

    Acho melhor ainda pq vc é um dos que ainda não se rendeu totalmente aos reviews em video!

  3. Filipe Cunha says:

    Ficou excelente a matéria!
    Acho que, aproveitando o levante, seria legal mais umas matérias sobre wet blending, hehehe 🙂

    Abraço e sucesso!

    • Gereth says:

      Fala ai Filipe!

      Obrigado pela visita e pelo comentário cara. Sim, cobrir o wet blending é uma idéia pra artigos futuros por aqui.

      Abraço!

  4. Vitor Kenner says:

    Esse artigo tu demorou em Estevao! Abraços!

    • Gereth says:

      Fala brother!

      Demorei sim. Queria muito escrever algo legal e que transmitisse o quão foda foi a experiência toda.

      Curtiu? Abração Vitor!

  5. TonFuregatto says:

    Muito bom o trabalho dele!! Que experiência heim!! Preciso de um livro desses kkkk!! abraços

  6. LEONARDO C COLOMBO says:

    Ler o artigo me fez lembrar da tua emoção e felicidade narrando pra nós como foi essa experiência. Muito bom, demorou mas fez jus aos dois mestres!

  7. Ismael Schroer says:

    Sempre artigos excelentes!
    Gostei de ver as pinturas do mestre, que ainda não tinha visto nada. Tive que rir de uma das fotos, que tu tinha me mandado enquanto estava lá. A do golden demon.

    Lembro que tu falou sobre a loucura que ele parecia estar fazendo no wet blending….misturando cor para lá e para cá.

    Isso muito me interessa no livro dele, além da parte sobre iluminação, que estou tentando aprender.

    Parabéns pelo artigo, estou na torcida do sorteio para ganhar esse livro :D.

  8. André Mancini says:

    Já tinha te dito que a matéria ficou muito boa, mas agora… agora você vai ensinar a pintar, não quero nem saber.

  9. Silvio CM says:

    Estevão, eu tenho um dvd do Jeremie, acho ele um dos mais criativos e malucos entro do nosso hobby e faz um trabalho simplesmente animal.

    Sua aventura narrada aqui e a dos bastidores 😉 é de fazer inveja da boa. Sério, estes são momentos altos na vida de qualquer hobbista que como nós está sempre atrás de algo bacana para aprender! Parabéns pela aventura e parabéns pelo blog!

    Li mais de uma vez seu texto aqui e agora é guardar moedinhas pra também fazer um workshop com algum mestre desses 🙂

    abração!

  10. Caio Viana says:

    Rapaz, eu tinha lido essa postagem um tempo atras, mas acabei esquecendo de comentar. Deve ter sido uma experiência única conhecer e estudar com um cara desse nível. Tendo boa orientação o cara evolui bem mais rápido. No caso dele a pintura de miniaturas já pura arte que interveio nas miniaturas criadas por outro artista. Cés fantastic!

  11. Andre Samuel Figueroa Nunez says:

    Já tinha lido uma pá de coisas desse blog. Ainda tem pouca gente pintando minis no Brasil, mas eu espero que esse número aumente.

  12. Phobos says:

    🙂 ótimo post.

  13. Rubem says:

    Sou suspeito para falar, mas sempre acompanho as postagens o conteúdo é muito bom. Gostaria de ver mais postagens sobre conversões e como otimizar tudo que vem nos sprues dos meus Chaos Space Marines.

  14. MAURICIO SALLES DELAYTI says:

    quero o meu! 🙂

  15. Leonardo Lourenço Doria says:

    Gostei do artigo me serviu como mais um incetivo para continuar pintando minis

  16. Sensacional! Nao conhecia e virei fa!
    Vida longa!

  17. Ralph says:

    Cara…. q inveja! Rs
    Uma pena que as conversões hoje tornem tais viagens quase impagáveis .
    Parabéns cara.

  18. ken says:

    muito bom, tenho o dvd dele q ele pinta figuras da rackham

  19. amdreh says:

    Cara, não sabia como tinha sido esse curso, achei mto foda! Me interesso demais pelo livro, é um tema inesgotável!

  20. p says:

    é aqui que comenta pra participar do sorteio do livro? ^^

  21. Augusto says:

    Eu vi esse livro a venda e fiquei babando para comprá-lo. A qualidade gráfica esta muito boa e o conteúdo é ótimo para quem já possui experiência e quer melhorar.

  22. T-Man says:

    Parabéns cara! Criando conteúdo de qualidade e fomentando o crescimenro do hobby! Excelente trabalho! 😉

  23. kennedycaldas says:

    Já tem um tempo que não pego nos pincéis, até me animei agora. Parabéns, continue com o excelente trabalho!!!

  24. Fantástico o livro e as miniaturas. Já consigo resultados bem satisfatórios. Imagina com um codex de referência desses…

  25. andrei bressan says:

    Cara, não conhecia nada sobre o trabalho dele. Paguei muito pau, vou pesquisar mais

    • Gereth says:

      Oi Andrei!

      Cara, o Jérémie é O MESTRE. Infelizmente ele saiu um pouco do spotlight do hobby (e até das competições de pintura se formos ser honestos) e se dedica hoje a outros projetos (como mencionei no artigo).

      Vale muito a pena conferir sim. O site dele (link no artigo) tem muitas fotos registrando os trabalhos dele e procurando você acha muita coisa na internet também.

      Grande abraço e obrigado pelo comentário.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s