Archive for the ‘hordes’ Category

 

Hello there Reader.

 

Writing this article took me a lot longer than I originally anticipated (sorry about that Harry!) but I want to believe the end result I’m presenting you here in this review is well worth the wait.

 

I wrote here on the blog a while ago about the idea of tackling a new wargaming system from scratch and sharing my experiences along the way with you Reader from this blog. One of my biggest concerns were the scenery pieces given that the game I chose to begin with, Infinity from Corvus Belli, has a very different scale and atmosphere from the other games I already collected (namely Warhammer 40.000) and thus my collection of scenery pieces wouldn’t suit the new game.

(more…)

Hello there.

One of the things a lot of us wargamers, and miniature enthusiasts, get to face a lot are the misconceptions and prejudice of others towards our hobby. How many of you have carefully explained the hobby to relatives, friends and acquaintances, just in order to hear a disappointing “So you play with toys right?”. I know I have heard something along those lines and apparently other hobbyists out there as well.

So I tend to find really nice when the mainstream media takes interest in any of my hobbies and decides to showcase any of them to their audience. A while ago a very good friend of mine, Silvio from the Roleplay blog, had told me that he had been contacted by a TV show to talk a little about our common hobby: Wargaming.

My first thought was: “Wow! Wargaming on TV! That’s new!”

I was mildly surprised when I found out he was actually going to be interviewed about the wargaming hobby and not only showcased as a freak hobbyist, as I’ve seen too many times already when it comes to Role Playing Games and Videogames.

It turned out that on the actual show, which aired on a cable TV channel in Brazil, they had an informal chat which presented wargaming on a broad spectrum giving the public at large an average idea of our hobby. It was a pretty good show and I believe it achieved its purpose of showcasing the hobby in a positive light.

That’s why I decided to translate  add subtitles to the original video in order to share it with you here. Not only you get to watch a nice show about our common hobby but also see some nice painted miniatures and scenery. You might even be able to spot one of the models I painted and shared here on the blog sometime ago.

Salve Leitor.

Dia desses o Silvio, do blog Roleplay, anunciou que nosso hobby seria tema de um programa de TV. Ele já havia comentado comigo ter sido procurado para fazer um programa para televisão sobre o hobby que compartilhamos, e é tema deste blog: Os Wargames.

Fiquei entusiasmado por ele e com a potencial exposição do hobby, que sempre acaba angariando alguns novos adeptos o que é interessante para fomentar o crescimento da comunidade como um todo. Mas ao mesmo tempo veio o receio. Receio de que uma vez mais um de meus hobbies fosse retratado de maneira negativa na mídia, coisa que já aconteceu com o RPG, com jogos de vídeo game e com as revistas em quadrinho. A imprensa tem, de modo geral, o mal hábito de retratar esses hobbies em uma luz negativa, ou ainda, como interesses de pessoas esquisitas. Nada podia estar mais longe da verdade.

Felizmente não foi o caso dessa vez. O Silvio foi entrevistado por ninguém menos que Gastão Moreira, ou só Gastão como ele é mais conhecido do público, para o programa “Lado H” que faz parte da grade de alguns canais de TV a cabo no Brasil. Ao longo de um segmento os dois bateram um papo informal sobre os jogos de estratégia, mais conhecidos como wargames, explanando de uma maneira descomplicada sobre suas origens e particularidades.

Uma excelente matéria que fez jus à proposta de apresentar o jogo no espaço de um segmento. Parabéns ao Silvio pelo brilhantismo da entrevista e pela forma como representou a  comunidade extensivos também ao programa “Lado H” e sua produção.

O vídeo já havia sido postado na internet, mas optei por traduzir e legendá-lo para atingir uma audiência maior aqui no blog. Vale gastar uns minutinhos do seu tempo para assistir (ou rever se você já o tinha visto) e quem sabe indicá-lo para os amigos no intuito de explicar um pouco mais sobre esse seu “hobby esquisito”. Prestando atenção você encontra até uma miniatura pintada por mim e que já apareceu aqui no blog.

Grande abraço.

 

Salve Leitor.

 

Hora de dar um tempo no Warhammer 40.000 ou mesmo nos jogos da GW. É hora de falar da Privateer Press.

 

Qualquer jogador sério de Warmachine que não esteve morando em uma caverna nos últimos meses está a espera do próximo suplemento dedicado ao jogo aptamente intitulado Legends.

 

Com o Legends a PP cumpre a promessa de com cada novo suplemento elevar a barra de qualidade no que diz respeito aos seus jogos e desta vez ela o faz de maneira espetacular.

 

Legends introduzirá além de novos Warcasters, versões épicas de alguns Warcasters antigos (como o Supreme Commander Irusk), novos solos e mercenário, porém, a cereja do bolo a meu ver serão os “Epic Warjacks”.

 

Aparentemente esses novos Warjacks são versões únicas de chassis comuns que estão a serviço de determinado Warcaster a tanto tempo que chegaram a ser tornar indivíduos.

 

Até o presente momento temos confirmação de pelo menos 6 “Epic Warjacks” (ou “character Warjacks” como a PP optou por nomeá-los):

 

Para Cygnar teremos o “Thorn Light Warjack” e “Ol’Rowdy” um Ironclad.

 

Ol’Rowdy:

 

 

 

Para Khador teremos o “Beast-09” um Juggernaut e “Drago” um Berserker.

 

Beast-09:

 

 

 

Drago:

 

 

 

Para Cryx sabe-se apenas do “Cryx Nightmare Helljack” e para o Protetorado teremos o “Blessing of Vengeance Light Warjack”.

 

O Tabletop Gaming News já aponta o lançamento de algumas dessas peças para outubro.

 

Aproveitando o ensejo falemos de Hordes. Além dos Wajacks de Legends apareceram hoje também fotos de duas novas miniaturas pra Hordes, a primeira delas Saxon Orrik e um “minion” e a segunda um Cyclops Seer Light Warbeast. Como sempre as minis não são nada menos que espetaculares.

 

Saxon Orrik:

 

 

 

Cyclops Seer:

 

 

Deu vontade de jogar Warmachine de novo!

 

Até a próxima!

 

 

Hello there!

If you’ve been to this blog recently and read the previous entries about Privateer Press’ games you might be wondering right now that if the games are so brilliant as I’ve stated here where are my models to show for it?

Well, to prove I’m not full of shit and that, as todays entry say, I put my money where my mouth is I’m uploading some pictures I’ve taken of the completed models I have so far.

I intend to have at least the “entry battlegroup” or warband for each of the games, that being the starter boxes sold for each faction. After that I might expand a few of them into full blown forces but bear in mind: I’m extremelly satisfied with the small skirmish games I’ve had so far with the few models I’ve already painted up. As I have said before that’s one of the great atractives of this games for me: being able to field a completelly painted up force in the span of a couple of days (or maybe a week if you like to take your time).

So, without further ado I present you my completed warmachine and hordes models so far.

Olá! Se você já havia visitado este blog provavelmente leu as resenhas dos jogos produzidos pela Privateer Press publicadas aqui. Aqueles que estão chegando aqui pela primeira vez podem se surpreender ao encontrar neste blog artigos relacionados a um jogo diferente daquele que era o grande foco do antigo “The painting Frog”. Se você é um dos recém chegados tira alguns minutos para ler as resenhas do Hordes e do Warmachine… vai ajudar a entender minha empolgação com estes jogos.

Pra mostrar que eu não estou só “conversando fiado” a respeito desses jogos posto hoje aqui as fotos das miniaturas que já terminei. Espero em breve adicionar mais delas aqui assim como fotos e tutoriais passo a passo de como pintar miniaturas de warmachine e hordes. Aguardo as criticas e comentários de vocês visitantes.

Pra começar um Dire troll da facção Trollbloods de Hordes:

Dire troll

O mesmo troll visto de costas:

Dire Troll

As primeiras minis que pintei foram as de Khador. Um Juggernaut:

Juggernaut

Um Destroyer:

Destroyer

E por fim a Warcaster:

Warcaster (Sorscha)

Todas essas miniaturas já haviam sido publicadas anteriormente no fórum Warhammerbrasil. Elas foram pintadas em um esquema de cores diferente do tradicionhal vermelho de Khador representando as forças da quinta legião de fronteira Khadorana. Ná época muitos comentaram que as miniaturas estariam muito envelhecidas porém fiquei satisfeito com o resultado que retrata a forma que imagino que esses caras lutem: Com poucos suprimentos e warjacks bastante avariados pelos embates na defesa fronteiriça de Khador.

O segundo grupo de miniaturas que pintei foi a caixa básica de Cygnar com Coleman Stryker e seus Warjacks:

Lancer:

Lancer 

Lancer

Charger:

Charger

Charger

Ironclad:

Ironclad

Ironclad

E por fim o Warcaster Coleman Stryker:

Stryker

Stryker

Pra encerrar um group shot do battlegroup Cygnarano:

Cygnar Battlegroup

É isso. Peço desculpas pela qualidade das imagens mas estou sem um bom editor de imagens pra dar um tapa nelas (I apologize for the poor quality of the pictures but right now I have no way of editting them).

Grande abraço e até a próxima.

 

 

Um dos artigos recentes aqui no blog falava sobre o Warmachine, jogo de miniaturas produzido pela Privateer Press, onde o jogador assume o papel de um Warcaster comandando poderosas máquinas de guerra chamadas Warjacks em batalhas pela supremacia no reino de Immoren.A PP não se cingiu ao jogo de combate entre “robôs a vapor” e algum tempo depois lançou a contraparte animal do Warmachine: HORDES.Tudo aquilo que foi dito no artigo anterior sobre Warmachine acerca da fantástica ambientação do jogo e do cuidado dispendido pela PP com o universo por ela criado continua pertinente aqui já que ambos os jogos tem como pano de fundo o conturbado reino de Immoren.O Hordes segue a mesma linha do Warmachine, assim como a mecânica de jogo, só que ao invés de controlar um Warcaster e seus Warjacks em Hordes você controla um Warlock e suas Warbeasts.Como no Warmachine existem aqui 5 facções: Trollbloods; Skorne; Circle Orboros; Legion of Everblight e Minions. 

Os Trollbloods são uma raça de trolls e meio trolls que vivem nas florestas de Immoren, em especial a Thornwood Forest. Acossados por inimigos por todos os lados e subitamente traídos e abandonados por seus antigos aliados resta a eles fazer uso da força bruta para tentar sobreviver e ao mesmo tempo retirar as forças das nações civilizadas de seus territórios. 

 

 

Os Skorne são uma raça expansionista oriunda do leste de Immoren. Instigados a voltar suas forças para a região central de Immoren pelo rei deposto de Cygnar, Vinter Raelthorne, os Skorne fazem uso de bestas de guerra escravizadas e de antigas técnicas arcanas para subjugar qualquer raça que fique em seu caminho.

 

O Circle Orboros é um secto de druidas que cultuam o aspecto mais destrutivo de sua divindade, o devorador. Fazendo uso das forças da natureza e de construtos e bestas de guerra temíveis o Circle persegue sua própria agenda secreta ambicionando balancear a proporção entre o avanço da civilização e o “mundo natural”.

 

 

A Legion of Everblight é, como o nome aponta, a legião de seguidores de um dos dragões de Immoren, Everblight. Após sua destruição a essência de Everblight foi aprisionada em uma gema (o Athanc), gema esta que foi encontrada por Thagrosh o profeta de Everblight que, de acordo com os desígnios do seu mestre, criou a legião.Corrompidos pela essência do dragão os warlocks desta facção fazem uso dos Dragonspawn, monstruosidades criadas a partir do sangue do dragão à sua imagem e semelhança, como bestas de guerra.

A última das facções, a exemplo dos mercenários de Warmachine, são os Minions, criaturas e (ou) raças que podem ser empregadas por quaisquer das facções de Hordes ou mesmo de Warmachine. 

Sim você leu certo e não eu não estou errado. Os Minions de Hordes podem ser utilizados por armies de Warmachine e esse é outro ponto alto dos jogos criados pela PP: A interação entre os dois sistemas. Embora possuam algumas características que os diferenciem a mecânica básica do jogo é idêntica entre os dois sistemas o que permite que você dispute partidas entre warbands de Hordes contra outros warbands de Hordes ou contra battlegroups de Warmachine sem qualquer dificuldade.

A diferença fundamental entre os jogos é que enquanto Warmachine é um jogo onde o segredo é administrar recursos (os pontos de focus alocados pelo Warcaster nos Warjacks) no Hordes o segredo é o gerenciamento de riscos (os pontos de fúria gerados pelas Warbeasts).Como assim? Você deve estar se perguntando.

Como já havia falado no artigo anterior sobre Warmachine, um dos grandes segredos para o sucesso naquele jogo é usar sabiamente os pontos de focus gerados a cada turno pelo Warcaster para incrementar os ataques e rolagens de dano dos warjacks aumentando assim suas chances de acertar o inimigo e transformado ataques letais em golpes devastadores. Em Hordes não existe focus. O warlock pode forçar suas bestas a bater melhor ou mais forte (efetivamente aumentando as chances de sucesso como em Warmachine), porém cada vez que é forçada a fazer algo a warbeast ganha pontos de fúria. Mal geridos pelo jogador esses pontos de fúria podem fazer com que a warbeast se rebele, entrando em frenesi e atacando unidades amigas e até mesmo o próprio Warlock.

O jogador se livra dos pontos de fúria indesejados absorvendo-os com seu warlock, que os usa para conjurar magias, porém existe um limite para quanta fúria um warlock pode retirar de suas warbeasts em cada turno, daí o porquê de se dizer que o hordes tem como foco o gerenciamento de riscos.

O jogo conta hoje com o livro básico de regras, Hordes Primal, e com sua primeira expansão, Hordes Evolution. O primeiro livro trás o conjunto básico de regras do jogo bem como as regras de cada um dos warlocks e warbeasts, assim como unidades e solos, originalmente lançados com o jogo, assim como um primoroso relato do histórico de cada uma das facções e de seu atual “status quo” no universo de Immoren.Evolution avança a estória de cada uma das facções bem como introduz novas regras, unidades, warbeasts e warlocks ao jogo sendo assim indispensável ao jogador.A Privateer Press uma vez mais acertou a mão ao criar um jogo envolvente, de mecânica fácil e cativante, bem como mostrou respeito aos jogadores ao permitir através das regras a interação entre seus dois carros chefe.Assim cabe a você que se interessou pelo jogo escolher qual a sua facção ideal e mergulhar de uma vez em Immoren.

Quem sabe não nos enfrentamos em breve?