Archive for the ‘Scenery’ Category

 

Hello Reader!

I’ve published a few articles here on the blog authored by friends of mine, who either ask to have their stuff published here or who are invited by me to share their thoughts on the blog.

 

I’ve recently done so with the “A Tale of X Gamers” articles, and also with the Warmachine starter box review.

 

Today’s post here is another guest article, this time authored by one of the good friends I’ve made in this hobby, even if we’ve only met in person once. He’s the guy who ultimately made it possible for me to get into the wargaming hobby, and especially into Warhammer 40.000: Joao Marcelo, or JM as he’s often called.

 

Without further ado, here’s his review of the Maki Games scenery pieces.

(more…)

 

Hello Reader.

 

This is the Portuguese version of the “Catwalk Set” scenery kit’s review published earlier today here on the blog. Please check that out if you missed it as it’s a GREAT scenery piece by Micro Art Studio.

 

Over and out.

 

+++

(more…)

 

Hello there Reader.

 

One thing I’ve been trying to do a  lot more with the blog lately is reviewing and showcasing different options in the miniature war gaming market to the Brazilian community and the blog’s audience. As you probably know it’s been increasingly difficult to get hold of GW products down here in Brazil (and pretty much everywhere else in the world where GW doesn’t have a presence or retailers carrying their products) and we’ve been purchasing our hobby supplies from other companies in the market.

 

The art of scenery making has taken a few blows since GW and other companies have begun making top quality scenery pieces and lately I’ve been fascinated with laser cut MDF scenery pieces as it seems there are a lot of options out there in the market today.

(more…)

 

Hey there Reader.

 

It’s been a good while since I’ve written a proper painting tutorial in order to share with you guys here on the blog.

 

I believe that in order to improve our painting skills we should strive to leave our comfort zone whenever possible and there’s this technique I had wanted to try for a long time called “Salt Weathering” which, to sum up, consists of using your every day kitchen salt to as a mask when painting, but that, thus far, I hadn’t found an opportunity to try.

 

The nice thing about this technique is that it produces irregular patches which can be really useful to simulate paint wearing off from surfaces. Given that I wanted to go with a weathered look for my Outpost Kit (reviewed here the other day) I decided it was time to give the technique a try.

 

(more…)

 

Hello there Reader.

 

This is the portuguese version of the “Outpost Kit” review published here. If you missed it do check it out today.

 

+++

 

Salve Leitor.

 

Acabei levando bem mais tempo para escrever este artigo do que eu esperava, mas, quero crer que a demora tenha valido a pena.

 

Já tem um tempo que escrevi pela primeira vez acerca de minha vontade de experimentar um novo sistema de jogo e compartilhar toda a experiência com vocês através do blog.Uma de minhas preocupações em relação a essa nova experiência eram os cenários principalmente porque o jogo que escolhi, o Infinity da Corvus Belli, possui uma temática e uma escala bastante diferentes dos demais jogos que eu já colecionava e assim o meu acervo de cenários não seria tão útil para o novo jogo.

(more…)

 

Hello there Reader.

 

Writing this article took me a lot longer than I originally anticipated (sorry about that Harry!) but I want to believe the end result I’m presenting you here in this review is well worth the wait.

 

I wrote here on the blog a while ago about the idea of tackling a new wargaming system from scratch and sharing my experiences along the way with you Reader from this blog. One of my biggest concerns were the scenery pieces given that the game I chose to begin with, Infinity from Corvus Belli, has a very different scale and atmosphere from the other games I already collected (namely Warhammer 40.000) and thus my collection of scenery pieces wouldn’t suit the new game.

(more…)

Hello there.

One of the things a lot of us wargamers, and miniature enthusiasts, get to face a lot are the misconceptions and prejudice of others towards our hobby. How many of you have carefully explained the hobby to relatives, friends and acquaintances, just in order to hear a disappointing “So you play with toys right?”. I know I have heard something along those lines and apparently other hobbyists out there as well.

So I tend to find really nice when the mainstream media takes interest in any of my hobbies and decides to showcase any of them to their audience. A while ago a very good friend of mine, Silvio from the Roleplay blog, had told me that he had been contacted by a TV show to talk a little about our common hobby: Wargaming.

My first thought was: “Wow! Wargaming on TV! That’s new!”

I was mildly surprised when I found out he was actually going to be interviewed about the wargaming hobby and not only showcased as a freak hobbyist, as I’ve seen too many times already when it comes to Role Playing Games and Videogames.

It turned out that on the actual show, which aired on a cable TV channel in Brazil, they had an informal chat which presented wargaming on a broad spectrum giving the public at large an average idea of our hobby. It was a pretty good show and I believe it achieved its purpose of showcasing the hobby in a positive light.

That’s why I decided to translate  add subtitles to the original video in order to share it with you here. Not only you get to watch a nice show about our common hobby but also see some nice painted miniatures and scenery. You might even be able to spot one of the models I painted and shared here on the blog sometime ago.

Salve Leitor.

Dia desses o Silvio, do blog Roleplay, anunciou que nosso hobby seria tema de um programa de TV. Ele já havia comentado comigo ter sido procurado para fazer um programa para televisão sobre o hobby que compartilhamos, e é tema deste blog: Os Wargames.

Fiquei entusiasmado por ele e com a potencial exposição do hobby, que sempre acaba angariando alguns novos adeptos o que é interessante para fomentar o crescimento da comunidade como um todo. Mas ao mesmo tempo veio o receio. Receio de que uma vez mais um de meus hobbies fosse retratado de maneira negativa na mídia, coisa que já aconteceu com o RPG, com jogos de vídeo game e com as revistas em quadrinho. A imprensa tem, de modo geral, o mal hábito de retratar esses hobbies em uma luz negativa, ou ainda, como interesses de pessoas esquisitas. Nada podia estar mais longe da verdade.

Felizmente não foi o caso dessa vez. O Silvio foi entrevistado por ninguém menos que Gastão Moreira, ou só Gastão como ele é mais conhecido do público, para o programa “Lado H” que faz parte da grade de alguns canais de TV a cabo no Brasil. Ao longo de um segmento os dois bateram um papo informal sobre os jogos de estratégia, mais conhecidos como wargames, explanando de uma maneira descomplicada sobre suas origens e particularidades.

Uma excelente matéria que fez jus à proposta de apresentar o jogo no espaço de um segmento. Parabéns ao Silvio pelo brilhantismo da entrevista e pela forma como representou a  comunidade extensivos também ao programa “Lado H” e sua produção.

O vídeo já havia sido postado na internet, mas optei por traduzir e legendá-lo para atingir uma audiência maior aqui no blog. Vale gastar uns minutinhos do seu tempo para assistir (ou rever se você já o tinha visto) e quem sabe indicá-lo para os amigos no intuito de explicar um pouco mais sobre esse seu “hobby esquisito”. Prestando atenção você encontra até uma miniatura pintada por mim e que já apareceu aqui no blog.

Grande abraço.

Cenários Tyranid!

Posted: 26/02/2007 in Scenery

Salve leitor.

 

Dia desses falávamos aqui sobre cenários e a importância destes para compor um campo de batalha visualmente atrativo e que contribuísse para a narrativa do jogo.

Sempre gostei de mesas com diversos cenários, na verdade quanto mais melhor, o que sempre gerou protestos por parte de meus adversários mais habituais que ao final da distribuição dos terrenos sobre a mesa invariavelmente disparavam um “Mas não tem muito cenário nessa mesa não?”, ainda que o grande número de cenários militasse em favor dos mesmos bloqueando todas as minhas linhas de tiro. C’est la vie… tem gente que só reclama mesmo.

Com o tempo minha escolha por cenários passou a ser direcionada para aqueles que complementasse os armies que tenho, ajudando assim a contar uma estória em cada partida em que eles atuassem.

Já há um certo tempo eu tencionava criar uma mesa “Alien” com cenários que evocassem um mundo alienígena, mas precisamente um mundo sendo consumido pelos alienígenas “Alien” do universo do Warhammer 40K: Os Tyranids.

Como já tinha dito aqui, os Tyranids são uma das maiores ameaças ao império do homem no universo do 40K, uma raça de alienígenas insetóides (claramente inspirada nos aliens da serie de filmes iniciado com “Alien o 8º passageiro”) semi-conscientes, guiados pela tirânica consciência coletiva conhecida como Hive Mind, o objetivo desta raça é consumir toda a biomassa dos planetas que ataca, criando assim novos organismos e seguindo em frente, eventualmente consumindo toda a galáxia (para saber mais sobre esse processo confira o link).

Meu intuito era assim representar com cenários esse processo em que a biomassa do planeta é consumida, prédios, veículos, corpos, nada é deixado para trás sendo integralmente assimilado pelos Tyranids.

Com essa idéia na cabeça, e reconhecendo que meu forte não é construir cenários, comissionei os serviços do amigo, e “mestre engenheiro cenarista anão”, Geraldo para que ele construísse para mim tais cenários.

Os cenários eventualmente ficaram prontos porém tiveram de amargar quase dois longos anos sem que fosse pintados em virtude de números outros projetos que ganharam prioridade sobre os terrenos, mas, finalmente, essa espera acabou.

Com o feriadão do carnaval e a visita de mão de obra extra, também conhecido como Ivan o “Terrível”(hehehehe), resolvi pegar firme nos cenários e terminar a empreitada de uma vez, já que ficar usando os terrenos sem pintura não tinha a menor graça como mostram as fotos a seguir:

 

 

 

Com algumas alterações menores no trabalho original do Geraldo o resultado final pode ser conferido nas fotos a seguir (para ver todas as fotos não deixe de conferir a galeria de fotos "Scenery pieces" aqui no blog):

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Todas as bases foram pintadas seguindo a mesma receita básica com camadas sucessivas de drybrush utilizando-se as seguintes cores: roxo; vermelho escuro; vermelho claro; cor de pele escura e por fim uma cor de pele mais clara (Royal Purple; Red Gore; Blood Red; Dwarf Flesh e Elf Flesh).

Finalizada a pintura foi aplicada uma camada de water effects da GW com tinta vermelha e marrom adicionadas para emular sangue. Essa mistura foi aplicada sobre todas as partes “orgânicas” dos cenários e derramada generosamente ao redor do rhino ultramarine para criar a digestion pool.

Fico no aguardo dos comentários e até a próxima.

Terrenos/Cenários!

Posted: 23/02/2007 in Scenery

Salve.

 

Uma parte importante no hobby de jogos de estratégia, negligenciada por mim aqui no “The Painting Frog” até hoje é a construção de cenários para compor o campo de batalha sobre o qual se jogará a partida.

Muitos não se importam tanto com esse “pano de fundo” encarando partidas de seus jogos preferidos sobre a mesa da cozinha ou mesmo no chão, usando como “cenários” pilhas de livro, garrafas de refrigerante vazias e o eventual brinquedo que sobreviveu à infância.

Não há nada de errado com essa forma de se preparar um campo de batalha, porém para muitos, e me incluo entre estes, criar cenários convincentes e condizentes com a atmosfera do jogo em questão é parte intrínseca do hobby, sendo que cenários bem feitos adicionam em muito à atmosfera da partida.

O mais legal de se construir cenários, ou maquetes, para as partidas é que via de regra não se precisa gastar muito com isso. É claro que você pode gastar uma pequena fortuna comprando cenários pré-fabricados existentes no mercado, porém, não sendo este o caso, você pode construir suas próprias peças usando materiais encontrados em casa mesmo e que normalmente iriam parar na lata de lixo como latas de batata frita, pedaços de cano de PVC, juntas, conexões, tampas de garrafa etc, mas, se ainda assim você acha que não leva tanto jeito pra confeccionar suas próprias peças sempre pode pedir auxilio a sua fiel impressora. Impressora? Você pode se perguntar. Sim Impressora… essa é uma das opções que explicitarei a seguir.

 

Como já disse e perfeitamente possível jogar uma partida de seu wargame favorito na mesa da cozinha, porém seja sincero, você prefere encarar seu oponente em uma mesa como esta:

 

 

Ou em uma mesa como estas:

 

 

 

 

 

 

A escolha final é sempre sua, porém, não há como negar, disputar uma partida sobre uma mesa bem construída e com cenários que adicionem à estória que esta sendo contada naquela partida aumenta exponencialmente a diversão. Se consegui convencer você a dedicar um pouco do seu tempo aos cenários do seu campo de batalha, deixe-me agora mostrar suas opções.

A opção mais fácil é adquirir cenários pré-fabricados, já pintados ou não, e adiciona-los à mesa de jogo. Existem diversas opções no mercado nas mais diferentes escalas e temáticas, merecendo destaque a meu ver aqueles produzidos pela Forgeworld e pela Games Workshop para os universos do Warhammer Fantasy e Warhammer 40.000.

Outra opção por mim apontada, embora esta seja de longe a menos utilizada por mim, é a impressão de peças de cenário. Alguns sites disponibilizam para download arquivos para impressão e posterior montagem dos mais variados cenários (se você quiser dar uma conferida nesse tipo de material cheque os sites da World Works Games; da Stones Edges e também o da Wizards of The Coast).

A última opção, e minha favorita, e o popular faça você mesmo, já que construindo seus próprios cenários do zero, você tem a oportunidade de customizá-los podendo até mesmo adequar as peças de cenário produzidas ao seus exércitos, ou aos exércitos de seus inimigos.

 

Pululam por toda a internet diversos tutoriais passo a passo de como fazer os mais variados cenários porém destaco aqui, à guisa de ilustração, os tutorias da Games Workshop para Warhammer 40.000; Warhammer Fantasy e Lord of The Rings.

Além dos tutoriais mencionados queria chamar sua atenção para um dos mais antigos sites sobre a construção de terrenos, mas que continua firme até hoje: o Terragenesis que com sua ampla coleção de artigos tem tutoriais para construção dos mais variados tipos de terreno.

Espero que o bichinho construtor de cenários/terrenos tenha despertado em você e que assim muito em breve suas batalhas sejam travados em campos de batalha tão detalhados quanto seus exércitos.

Até a próxima.