Hello Reader!

 

This is the Portuguese version of our article about Games Workshop’s return to Brazil by a new importer/distributor. You can check the English version here.

 

+++

 

Olá Leitor!

 

Se você acompanha nossas redes sociais já viu em primeira mão lá em nossa página no Facebook a nota anunciando que os produtos da Games Workshop vão voltar a ser distribuídos no Brasil por intermédio de um novo importador/distribuidor nacional.

 

 

Já estava na hora de condensar toda essa informação em um artigo aqui no The Painting Frog. Essa é a segunda vez que me sento para compartilhar com vocês a noticia de que a Games Workshop esta chegando no Brasil, em mais um capítulo dessa relação inconstante ao longo dos anos entre a companhia e a comunidade brasileira.

Naquele primeiro artigo, escrito ainda em 2008, eu reportava sobre o lançamento da linha Games Workshop no Brasil no saudoso Encontro Internacional de RPG (o EIRPG) pelas mãos da Hobby Delivery. O clima na época era de muito otimismo e empolgação, mas, infelizmente, o ciclo pelas mãos da Hobby Delivery durou bem pouco (pouco mais de dois anos) e na sequência (como já anunciávamos em um artigo de 2011) a Games Workshop passou às mãos da infame Legends do Brasil e todo mundo sabe como essa história terminou (se você não sabe pode ler tudo aqui).

 

Pouco após o descredenciamento da Legends do Brasil tomei conhecimento através de uma fonte na Games Workshop que uma empresa no Brasil estaria em tratativas para passar a representar e distribuir os produtos da Games Workshop mais uma vez o Brasil.

 

Como a fonte me pediu segredo, e como as coisas ainda estavam bastante incertas naquele momento, guardei a informação para mim aguardando que as coisas se confirmassem. Essa confirmação veio pouco antes de eu viajar para a Inglaterra, agora em Janeiro de 2017, achei que essa era uma feliz coincidência e perguntei a minha fonte se ela poderia me receber para um papo quando eu estivesse em Nottingham, pedido com o qual ele concordou.

 

Visitando Nottingham!

 

Dessa vez a coisa ficou séria!

 

Com a devida autorização posso agora compartilhar com vocês leitores como foi esse papo. O nome da minha fonte é Malcolm Owen e ele trabalha para a Games Workshop com exportação e mercados emergentes

 

Segundo ele, a Games Workshop vem tentando entrar no mercado brasileiro há pelo menos doze anos, mencionando inclusive uma tentativa abortada por parte de uma grande cadeia de lojas de brinquedos brasileiras de trazer a Games Workshop ao país, porém, depois da tentativa fracassada com a Legends ele estava literalmente desistindo do mercado brasileiro quando foi contatado pelo novo distribuidor manifestando interesse em importar e distribuir por aqui os produtos da GW.

 

Acabando de uma vez com o mistério que imperava até ali o Malcolm me revelou que o novo importador/distribuidor para o mercado brasileiro era a Solid Imports, uma importadora brasileira com histórico de importação de colecionáveis, mas até aquele momento uma empresa sem qualquer relação com a GW e seus produtos. Ainda segundo o Malcolm ele fez todas as perguntas pertinentes com relação ao plano de negócios da Solid para o Brasil recebendo respostas que evidenciavam que a companhia brasileira tinha feito o dever de casa e possuía não só um entendimento acerca dos meandros jurídicos e tarifários que envolvem a importação para o Brasil, mas também um plano efetivo para os produtos GW no mercado nacional.

 

O Malcolm revelou ainda que a Solid havia feito uma encomenda inicial significativa, revelando a seriedade do intuito em se estabelecer como distribuidor por aqui, com seleções variadas de todo o catálogo. Quando perguntado sobre suas expectativas para essa nova tentativa no mercado brasileiro, o Malcolm disse não ter nenhuma além de manter o fluxo de produtos para o país de maneira constante.

 

Curioso sobre o que chegou  por aqui? Você pode conferir aqui a lista de produtos que publicamos recentemente lá no Facebook.

 

 

 

 

 

 

Parte dos produtos já aqui no Brasil.

 

O jogo de tabuleiro WARHAMMER QUEST: Silver Tower.

 

A caixa básica do Age of Sigmar.

 

Já temos por aqui lançamentos recentes como o suplemento “Wrath of Magnus”.

 

Devo fazer um parêntese aqui para agradecer desde já ao Malc, pelo papo e pela camaradagem. Espero poder retribuir a cortesia a mim estendida por ele. Devo admitir aqui para você Leitor que saí de nosso papo com a cabeça cheia, mas em especial com uma esperança renovada na idéia de ter uma vez mais por aqui os produtos da Games Workshop sem passar pelos habituais sustos e percalços da importação.

 

Sei que depois do fiasco com a Legends do Brasil, muita gente por aqui está acompanhando as noticias que andamos publicando com os dois pés atrás, querendo saber quem era o importador (e até achando que havia algum motivo sinistro para não termos revelado quem ele era até aqui). Bom, isso já não é mais segredo se você está lendo até aqui, mas fiel ao compromisso de informar você Leitor eu fui atrás de mais informações diretamente com a Solid Import, motivo pelo qual compartilho aqui as perguntas que enviei para o Daniel Rosa e o Diego Oliveira, dois dos sócios por trás da Solid, e as respostas que recebi deles:

 

The Painting Frog (TPF): A Solid Import é uma importadora já estabelecida no mercado brasileiro, vocês podem nos dizer a quanto tempo ela existe e nos contar um pouco da sua experiência até aqui?

Solid Import (SI – Diego): Estamos a 4 anos no mercado e trabalhamos com 300 revendedores ativos cujo foco é o público GAMERS, INFO, GEEK e COLECIONAVEIS.

SI (Daniel): Além dos 4 anos da Solid acho que não tem ninguém aqui com menos de 10/12 anos em importação, distribuição e logística. Temos um time muito bom por aqui.

 

TPF: Entendo que os produtos da Games Workshop sejam uma novidade no “mix” de produtos com os quais a Solid trabalhava anteriormente, de onde veio o seu interesse em trazer esses produtos ao mercado brasileiro e quais suas expectativas para eles?

SI (Diego): Atuei com Gerente Nacional de Vendas da NC GAMES, a maior distribuidora de jogos da América Latina por 4 anos, sou jogador de RPG à pouco mais de 20 anos e tive um excelente contato com Warhammer 40K aproximadamente 3 anos atrás. A expectativa é a melhor possível. Fechamos um excelente plano de abertura de mercado através de nossos principais clientes, que possuem afinidade com essa linha e alta visibilidade: Saraiva, Fnac, Leitura e pelo menos 5 sites que estão enviando seus pedidos e em breve serão divulgados.

 

TPF: Essa é, pelas nossas contas, a quarta tentativa em trazer os produtos da Games Workshop ao Brasil. Quais são os planos da Solid para fazer que essa seja a “tentativa definitiva” de trazer os produtos GW para o Brasil?

SI (Diego): Nós entendemos (obviamente com todo respeito) que as tentativas anteriores foram extremamente amadoras e devem ser desconsideradas. Contamos com uma grande equipe respeitada em todo varejo nacional, incluindo contas especializadas. Já atuamos forte com a linha de colecionáveis e licenciados, e já disponibilizamos linha de crédito própria para nossa carteira. Os clientes escolhidos são nossos parceiros e a aproximadamente 3 meses tem sido acionados e envolvidos nessa construção.

 

TPF: A Games Workshop tem um catálogo extenso de produtos, então, levando isso em consideração, quais produtos/linhas a Solid pretende trazer trazer regularmente ao Brasil?

SI (Diego): O portfólio inicial foi construído a 8 mãos: GW (Malc) , Solid, membro de comunidade e varejistas especializados. Trouxemos apenas 180 itens do catálogo da GW e fomos muito orientados pelo Malc com relação ao giro e inserção de alguns produtos. Toda linha de “Starts” e “Boxes” serão trazidas regularmente, miniaturas TOP 100 idem. Livros serão trazidos de acordo com giro (que esperamos que seja alto) e sempre teremos lançamentos acompanhando a GW.

 

TPF: Teremos a linha de tintas e primers em spray aqui no Brasil?

SI (Diego): Sim, faz parte do nosso plano de expansão. Se o lançamento for um sucesso, teremos toda a linha possível.

 

TPF: Temos conhecimento de que a Solid teria exclusividade na distribuição dos produtos GW no Brasil, porém, gostaríamos de saber como funcionará em termos práticos a exclusividade com relação ao consumidor final e a possibilidade de compra por ele diretamente da Games Workshop.

SI (Diego): Essa parte ficou com Malc, após o lançamento oficial aqui no Brasil. No entanto, quando o consumidor final sentir o “poder da pronta entrega”, parcelamento que os varejistas promovem, exposição (o produto tem muito apelo nesse sentido) com certeza quando fizer as contas, o produto IMPORTADO da GW se tornará inviável.

 

TPF: Até o presente momento a Solid está se concentrando na função de importação e distribuição dos produtos para outros revendedores no mercado brasileiro. Existem planos da Solid para, em algum momento, vender diretamente ao consumidor final?

SI (Diego): A SOLID é uma distribuidora esse é nosso business atualmente.

SI (Daniel): A Solid não vende diretamente para usuário final, porém fazemos fulfilment para outros parceiros, em outras linhas. E mesmo nesse caso o preço na ponta seria o mesmo.

 

TPF: E o suporte a comunidade? Podemos esperar algo da Solid nesse sentido, ou isso ficará exclusivamente a cargo de cada revendedor? Podemos esperar da Solid apoio a eventos independentes, ou quem sabe a organização de torneios e ev.entos aos moldes do “Throne of Skulls”, “Games Days” e mais recentemente “Open Days” realizados pela Games Workshop?

SI (Diego): Podem esperar os eventos e conto muito com a ajuda da comunidade para nos ajudar a divulgar esses eventos. Existem alguns varejistas com eventos em construção como FNAC Pedroso em SP, Leitura Shop Dom Pedro e Bazar Magic SP. Precisamos agregar valor a esses eventos, pois, o varejista irá repor os produtos de acordo com a força das vendas e dos eventos de divulgação. Contamos com vocês.

SI (Daniel): Sim sim sim sim sim!!

 

TPF: Uma das grandes preocupações da comunidade tem a ver com o preço final ao consumidor. Vocês poderiam lançar alguma luz sobre a forma como os preços serão determinados no mercado brasileiro? A Solid participa da confecção do preço final ai consumidor juntamente com os revendedores?

SI (Diego): Conforme abrimos as contas para Malc, os preços são determinados pela margem mínima que o varejista trabalha em todas suas linhas, e o preço que compramos da GW. Tivemos a preocupação de alinhar os preços para que ficam bons principalmente para o consumidor.

SI (Daniel): Todos vão ter o mesmo preço na ponta e lembrando os diferenciais: pronta entrega, mix de produtos extenso, pagamento em vezes, exposição em loja física e claro, importação idônea. A Solid não se interessa em lucrar com o primeiro, segundo ou terceiro embarque. Queremos volume/escala pra reduzir os custos e ai sim ganhar alguma coisa.

 

TPF: Supondo que algum dos meus leitores tenha uma loja e se interesse em revender o material da Games Workshop, como eles podem contatar vocês?

SI (Diego): Pode sempre direcionar em meu email, pois, cuido da parte comercial juntamente com minha equipe de vendas (Se você se interessou o email do Diego é diego@dbmarkcons.com).

 

Antes de encerrar acho que cabe ainda compartilhar aqui a lista de lojas que devem estar vendendo em breve os modelos da Games Workshop. O primeiro rol de lojas a que tive acesso era composto pelas seguintes lojas:

 

LIMITED EDITION

BAZAR MAGIC

GAMES DOMAIN

MANTICORE GAMES

LOST LAND

CULTURA / CULTURA GEEK

FNAC

SARAIVA

LEITURA

 

Dessa lista inicial já tenho a confirmação de que a Livraria Saraiva começará oferecendo o produto em duas lojas físicas e no site, a FNAC em uma loja física e no site, Leitura em 4 lojas físicas e a Bazar Magic em duas lojas.

 

Tão logo tenhamos a confirmação de novos pontos de revenda compartilharemos com vocês em nossa página no Facebook, então fique de olho por lá para acompanhar as novidades com mais agilidade.

 

Acho que diante de toda essa informação, não há como ter alguma dúvida de que o intuito da Solid Import é bastante sólido e que essa nova tentativa de trazer a GW para o mercado brasileiro passa ao largo de ser uma “aventura impensada” de um investidor maluco e com muita grana para gastar. É importante ter em mente que se por um lado o sucesso e a continuidade da oferta da GW por aqui depende em muito da comunidade local abraçar o produto e passar a consumir aqui, de outro lado é importante que o preço final ao consumidor não o aliene.

 

Não vou me atrever a encerrar este artigo fazendo qualquer previsão, seja de preços, seja do futuro da Games Workshop no Brasil, mas professo aqui um profundo desejo de sucesso à Solid Import e aos seus sócios nessa empreitada, e torcendo imensamente por esse sucesso me irmano aqui ao Malc na esperança de que tenhamos um fluxo cada vez mais sólido e constante dos produtos da Games Workshop prontamente disponível para a comunidade brasileira. Não tem nada que eu gostaria mais do que encontrar minhas tintas por aqui quando eu derrubo um pote de Nuln Oil em toda a bancada.

 

Dedos cruzados e mais novidades em breve. Grande abraço!

Advertisements
Comments
  1. Para mim, GW sempre foi sinônimo de hobby caro graças ao custo Brasil. Ao mesmo tempo, sempre olhei com encanto e interesse.

    Aguardo a Solid colocar os produtos no mercado para ver de perto, na vitrine. Isso realmente mexe com o desejo capitalista da pessoa rs.

    E vlw Paintingfrog, por compartilhar a informação!

    • Gereth says:

      Olá Vitor!

      Obrigado pela visita e pelo comentário cara. Concordo contigo no sentido de que a GW oferece um “hobby premium” e também compartilho o encanto experimentado ao apreciar uma bela vitrine de miniaturas.

      Abraço!

  2. marcos geovanne says:

    o preço salgado é oque desanima. olhei ontem o preço de um librarian (uma miniatura so) e o preço me desanimou bastante (uma mini do tamanho de um chaveiro custar 200 reais é foda hein kkkk). e se ta assim não quero nem ver o preço das tintas ou de um start collecting kkk. mas é um hobby que eu tenho muita vontade de iniciar então acho que vou esperar um pouco (ver oque vão fazer com os preços e tal).

  3. Leandro says:

    Fico muito contente com a noticia do Warhammer estar vindo oficialmente para o Brasil, estou torcendo para que popularize. Mas realmente, o preço tá muito salgado!
    Acho isso estranho porque a Galapagos Jogos conseguiu manter o preço do Star Wars X-Wings mais fiel com o que está sendo vendido lá fora. Já o Warhammer está mais do que o dobro do preço!
    Talvez eles estejam visando quem realmente já está colecionando.

    Obs: Eles tem planos para traduzir os livros? Se eles traduzissem o livro de regras edição 7 eu comprava!

    • Gereth says:

      Oi Leandro!

      Contente fico eu com sua visita e comentário cara!

      Então, com relação ao preço, eu tenho que concordar que é salgado mesmo, mas discordo com relação à afirmação de que os jogos da Galápagos cheguem por aqui ao preço que custa no exterior.

      Tomemos como exemplo o jogo X-Wing mencionado por você. Uma nave (a Z-95 Headhunter , por exemplo) que custa nos EUA em U$ 11.29 (onze dólares e vinte e nove centavos) o que na cotação de hoje (3,09 reais/ dólar) dá R$ 34,88 (trinta e quatro reais e oitenta e oito centavos) é vendido aqui pela Galápagos por R$ 69,90 (sessenta e nove reais e noventa centavos), ou seja, mais que o dobro do preço!

      Pra conferir:

      http://www.miniaturemarket.com/ffgswx16.html

      https://loja.galapagosjogos.com.br/produtos/z-95-headhunter-expansao-star-wars-x-wing?taxon_id=17

      O problema com relação ao Warhammer 40.000 e demais produtos da Games Workshop é o preço alto mesmo no exterior.

      Sobre a pergunta de planos de tradução, creio que não existam planos para a tradução para o Português num futuro próximo. Julgando por mercados maiores que o nosso em que não se traduziu o material impresso dos jogos (a Rússia, por exemplo), acredito que não deve acontecer.

  4. Tiago Freitas says:

    alguma atualização sobre loja física que esta vendendo ou uma data que ira começar a vender

    • Gereth says:

      Oi Tiago.

      Cara, lojas físicas que tenham os produtos GW e dos quais eu tenho noticia são as seguintes:

      Bazar Magic em São Paulo; FNAC Morumbi em São Paulo e a Livraria Leitura em Campinas.

      Online você consegue comprar na Lost Land, Bazar Magic e na FNAC.

      Te aconselho a curtir nossa página no Facebook, já que é mais dinâmico acomoanhar as noticias por lá (avisamos do início das vendas lá, por exemplo).

      No mais obrigado pela visita e pelo comentário cara.

      Abraço!

  5. Adrian says:

    Tive o prazer, ou não, de contemplar o produto na FNAC, não sei se é através da Solid Import que eles adquiriram porém os preços estão ridiculamente absurdos.

    • Gereth says:

      Olá Adrian.

      Obrigado pela visita e pelo comentário cara. Sim, os kits disponíveis na FNAC, assim como nas outras lojas que estão revendendo os produtos Games Workshop no Brasil são todos importados pela Solid.

      Realmente o preço deixou muito a desejar. Resta a esperança de preços melhores na segunda leva de produtos, que estava prometida para depois do Carnaval, mas que até agora não apareceu por aqui.

      Abraço!

  6. Paulo Ricardo Martins Moreira says:

    Poxa cara legal! Achei super interessante. Em meados de 2008 e 2009 eu colecionava o LOTR Siege Battle Strategy Game só que depois de um tempo os Kits Starters e as miniaturas saíram do mercado. A minha pergunta é se o LOTR voltará junto nesta nova empreitada?

    • Gereth says:

      Olá Paulo!

      Obrigado pela visita e pelo comentário. Eu não saberia informar sobre o LoTR. Levando-se em conta que toda linha é um produto licenciado dos filmes (e não dos livros) acredito qur com o tempo toda a linha seja deixada de lado.

      Hoje, salvo engano, só a Forgeworld produz novo material para o jogo.

      Grande abraço!

  7. olucasalencar says:

    Salve, Estêvão! Cara, recentemente caí de paraquedas no hobby de pintura de miniaturas. Foi meio inesperado porque eu nem era jogador de boardgame. Enfim, nos últimos dois ou três meses tenho pesquisado bastante sobre todas as facetas do hobby e já meti a mão na massa.

    Uns tempos atrás, eu estava namorando as tintas da linha Texture da Citadel, mas infelizmente não achei por aqui 😦 Então, nas minhas “andanças” por aí, topei com o seu blog e com esse post sobre o retorno da GW no Brasil. Vi ali na sua entrevista que o pessoal da Solid disse que as tintas também viriam, se tudo desse certo.

    Você tem alguma informação sobre isso? Queria saber especificamente sobre as tintas, porque dei uma vasculhada nas lojas que vendem essa nova leva da GW e não achei nada em nenhuma 😦

    • Gereth says:

      Salve Lucas!

      Cara, infelizmente não temos notícia alguma sobre uma eventual segunda leva de produtos da Games Workshop ao Brasil.

      A importadora anunciou extra-oficialmente (através do pronunciamento de um de seus sócios) que uma segunda leva de produtos (que incluiria as tintas) chegaria ao Brasil logo após o Carnaval. Já estamos em setembro e até agora nada.

      Acho melhor desencanar e tentar trazer esse material de fora, ao menos por enquanto.

      Abraço e obrigado pela visita e pelo comentário.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s